Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
21
22
28
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
30
Abr
12

Ao escrever este post, delicio-me  a imaginar o sorriso de felicidade do meu fifi mais velho quando deparar com esta receita. Passo a explicar:

 

O meu fifi mais velho foi um "Menino da Luz", ou seja, foi aluno do Colégio Militar.

 

Uma instituição em que a honra, a camaradagem imperam, onde são ensinados os caminhos e são abertos os horizontes aos alunos que têm o privilégio de o frequentar.

 

O amarelo de carne faz parte do cardápio do refeitório, nos dias de festa. É um prato de tal forma apreciado que, todos os anos, no dia 3 de Março, data da celebração do aniversário do Colégio, depois do desfile do Batalhão Colegial, nas suas fardas da côr de pinhão, pela Av. Da Liberdade, é servido um almoço onde são convidados os alunos e os ex-alunos, e onde é servido o amarelo de carne. Não sei se realmente apreciam mesmo este prato ou se é pelo facto de se sentirem meninos, novamente, a verdade é que a afluência à sala de refeições é muito grande, nesse dia.

E depois do Zacatraz, sentam-se à mesa entre gargalhadas, brincadeiras e piadas, pois voltam à adolescência.

Já agora, deixo aqui uma breve explicação do que é o Zacatraz ( leia-se Zácátráz) e do significado que tem para os "Meninos da Luz":

Este grito de saudação é proferido de forma rápida e com força como quem grita um grito de guerra e pela seguinte ordem, que constitui a junção de três séries de elementos, a solo e em coro, de que resulta uma forma característica, cheia de alegria e juventude:

.......Grito( proferido por 1 só elemento) .........................................Resposta Geral ( em coro)

... ZACATRAZ

.......ZACATRAZ

.............ZACATRAZ .................................................................................TRAZ; TRAZ    (3 vezes)

....ALA, ALA ..............................................................................................ARRIBA           (2 vezes)

....ALLEZ, ALLEZ

.......À VOTRE SANTÉ ............................................................................ALLEZ             (1 vez)

A Simbologia

O "ZACATRAZ" é o grito de saudação com que se festeja qualquer acontecimento importante, no Colégio ou fora dele; é como que um brinde que distingue quem frequentou ou frequenta o Colégio Militar.

Neste grito estão contidos o sentimento e a alma dos "Meninos da Luz". Por isso, é para ser proferido e acompanhado com vibração e entusiasmo, mas igualmente com solenidade e respeito.

Não se deve abusar da sua repetição; este profere-se por exclusiva vontade dos alunos em ocasiões importantes ou saudando pessoas e factos relevantes.

 

Finalmente, quando vir na lapela de algum casaco um pin com uma barretina igual à imagem que abre este post, saberá que está perante um "Menino da Luz".

   

 

 

 

Passemos agora à receita do Amarelo de Carne.

 

Como eu nunca tive oportunidade de comer o famoso e tão apreciado " petisco" tive alguma dificuldade em saber os ingredientes. O meu fifi lá fazia a descrição mas era impossível reproduzir com fidelidade. Portanto, decidi aventurar-me a pedir a fórmula a uma das cozinheiras do Colégio, que, amavelmente me ensinou, nem que fosse para não me ouvir mais a "pedinchar". éum prato muito simples mas que dá algum jeito quando não temos muitaimaginação para uma refeição em cima da hora. E, afinal, é saborosa ;)

O que preparar:

  1. 300g de carne de vaca para cozer;
  2. 6 ovos;
  3. 2 colheres de sopa de banha;
  4. Batatas fritas palha;
  5. Sal e pimenta a gosto;
  6. Azeitonas ou alcaparras para enfeitar ( facultativo)

 

Como preparar:

Cozer a carne de vaca em água temperada com sal. Se for no modo tradicional, isto é, sem ser em panela de pressão, demora cerca de 1,5h.

Após a carne estar cozida, retirar do tacho e deixar arrefecer. Desfiar a carne, deixando-a em “palitos” fininhos. Levar uma frigideira ao lume com a banha, deixar derreter e fritar nela a carne cozida e desfiada. Temperar com sal e pimenta.

Bater os ovos numa taça à parte, juntar 3 colheres de sopa de leite, bater mais um pouco e juntar os ovos batidos à carne na frigideira. Ir mexendo e separando com a colher de pau os frumos que de formam.

Agora, a forma tradicional e mais saborosa, manda que se descasque batatas, se partam em palitos fininhos e se fritem em óleo bem quente, não deixando fritar muito. Somente o suficiente para alourar.

Porém, e para facilitar a vida e encurtar o tempo de execução, pode-se colocar batata palha de compra num prato e colocar por cima o preparado de carne e ovo. Decorar com alcaparras ou azeitonas e servir de imediato, acompanhado com uma salada verde.

Mãos à obra.


publicado por Maria às 08:00
27
Abr
12

Consciente que vou ter reclamações dos fifis, não resisti a trazer esta forma de preparar peitos de frango porque é deliciosa. À primeira vista parecem muitos ingredientes mas não é nada que não se tenha, correntemente, em casa.

 

O que preparar:

 

  1. 3 salsichas picantes;
  2. 1 cebola;
  3. 4 peitos de frango;
  4. 1 dl de azeite;
  5. 1 queijo mozzarella com cerca de 50g;
  6. 200g de pão ralado especial ( pão, salsa, casca de limão, parmesão, sal e pimenta);
  7. 1 dl de vinho branco;
  8. 2 tomates;
  9. 1 chalota;
  10. 1 dente de alho;
  11. Folhas de manjericão;
  12. 4 palitos;
  13. 1 colher de chá de mostarda Dijon;
  14. 1 colher de sopa de vinagre balsâmico;
  15. 3 colheres de azeite;
  16. Sal e pimenta e gosto.

 

Como preparar:

 

Tirar a pele às salsichas, parti-las em bocadinhos miúdos e lavar ao lume juntamente com ao azeite. Deixar saltear um pouco. Picar a cebola e juntar às salsichas deixando amaciar, ao lume.

 

Entretanto, cortar o mozzarella em cubos pequenos colocando numa taça. Juntar o pão ralado, sal, pimenta e misturar. Juntar a esta mistura as salsichas com a cebola. Mexes bem.

 

Limpar os peitos de frango e, na extremidade mais alta, perfurar com uma faca, com algum cuidado, de molde a formar uma bolsa. Esta tarefa, apesar de não ser difícil, requer alguma habilidade e cuidado para não fazer nenhuma incisão para o exterior pois assim, não conseguimos que o recheio permaneça dentro da carne.

 

Encher essa bolsa com o recheio que preparámos e fechar com um palito. Colocar os peitos de frango recheados num tabuleiro e temperar com pimenta, sal, um fio de azeite e o vinho branco.

 

Levar ao forno a 200ºÇ, cerca de 20’.

 

Nesse tempo, escaldar os tomates ( fazer 2 cortes em cruz no topo oposto ao pé, e mergulhá-los durante 30” em água fervente e, passado este tempo, mergulhá-los em água com gelo). Esta operação ajuda a que se retire a pele com muita facilidade. Para além da pele, retirar, igualmente, as sementes.

 

Partir os tomates em bocados e misturá-los com a chalota picada, um dente de alho ralado, folhas de manjericão pisadas, mostarda Dijon, vinagre balsâmico e 2 ou 3 colheres de sopa de azeite.

 

Quando o frango estiver pronto, retirá-lo do forno e regá-lo com a mistura anterior.

 

Mãos à obra.

 

E não resisti a apresentar-vos os meus amores perfeitos. Não estão lindos?

tags:
publicado por Maria às 08:00
26
Abr
12

As costeletas de porco prestam-se a variadas receitas. Já trouxe aqui algumas mas não queria preterir esta forma de cozinhar pois, além de fácil, é muito saborosa. Mais uma, para os meninos que protestam, deixarem de ter razão para tal.

 

O que preparar:

 

  1. 4 costeletas de porco;
  2. 1 colher de chá de massa de pimentão ou, em alternativa, colorau;
  3. 2 dentes de alho;
  4. 1 cebola grande;
  5. 1 folha de loureiro;
  6. 1 tomate maduro, mas firme;
  7. 1 ramo de salsa;
  8. 2 dl de vinho branco;
  9. 1 colher se sopa de azeite;
  10. Sal e pimenta a gosto;
  11. Margarina para untar a caçarola.

 

Como preparar:

 

Temperar a costeletas com vinho branco, sal, pimenta e o pimentãomoido ou colorau. Deixar assim pelo menos ½ hora.

 

Untar uma caçarola com margarina e deitar os dentes de alho picados, a folha de loureiro e metade da cebola, cortada em rodelas. Colocar por cima as costeletas. Sobre as costeletas deitar a restante cebola cortada em rodelas, o ramo de salsa, o tomate lavado e cortado em rodelas, a marinada das costeletas, o azeite, e tapar. Levar a cozer em lume brando durante cerca de 45’ O tempo de cozedura depende da dureza da carne. Se, enquanto cozer, o líquido diminuir muito, acrescentar um pouquinho de água.

 

Servir quente, polvilhado de salsa picada e acompanhado de arroz branco, puré de batata ou mesmo, batata cozida.

 

Mãos à obra.

 

E aqui deixo um cheirinho a Primavera que teima em não vir!

publicado por Maria às 08:00
25
Abr
12

E se dissessem aos vossos/as fifis que iriam dar-lhes sandwich ao lanche? Até aqui, não haveria novidades. Mas, se dissessem aos vossos/as fifis que essas sandwich seriam de bolacha com sorvete? Imaginam as carinhas de agrado?

 

Experimentem e depois contem-me as expressões de felicidade estampadas nos rostos.


 

 

 

 

O que preparar:

 

  1. 450g de farinha de trigo;
  2. ½ colher de chá de canela;
  3. 150g de manteiga;
  4. 200g de açúcar granulado;
  5. 100g de açúcar amarelo;
  6. 1 colher de chá de fermento químico em pó;
  7. 1 colher de chá de sal;
  8. 1 colher de chá de extracto de baunilha;
  9. 2 ovos à temperatura ambiente;
  10. 200g de pepitas de chocolate ou chocolate em barra triturado grosseiramente.
  11. Sorvete de baunilha ou outro a gosto;
  12. Rolinhos de chocolate, a gosto.

 

Como preparar:

 

Colocar a manteiga na batedeira, bem como o açúcar. Bater em velocidade média, e ir juntando a canela, o açúcar amarelo, o fermento, o sal e o extracto de baunilha. Aumentar a velocidade e bater cerca de 3’. Juntar os ovos, um de cada vez,  e bater até a massa estar bem ligada. Nesta altura diminuir a velocidade da batedeira e juntar a farinha, às colheradas. Finalmente, juntar as pepitas de chocolate, mexendo com uma espátula.

 

Forrar um tabuleiro com papel vegetal e colocar colheradas de massa ( facilita se for feito com a colher do sorvete), afastadas 3 cm umas das outras, e levar ao forno a 190ºC, até alourarem o que demora cerca de 15 a 20’. Retirar do forno e colocá-las numa grelha para arrefecerem.

 

Com a colher de sorvete, colocar uma bola deste cobre uma bolacha e colocar outra bolacha, fazendo pressão de molde a formar uma sandwish. Passar a parte do srovete que fica à vista sobre os rolinhos de chocolate.

 

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
24
Abr
12

Foi ele que rapou avaramente a sopeira. E já espreitava à porta, esperando a portadora dos pitéus, a rija moça de peitos trementes, que enfim surgiu, mais esbraseada, abalando o sobrado – e posou sobre a mesa uma travessa a transbordar de arroz com favas. Que desconsolo! Jacinto, em Paris, sempre abominara favas!...Tentou, todavia uma garfada tímida – e de novo aqueles seus olhos, que o pessimismo enovoara, luziram, procurando os meus. Outra larga garfada, concentrada, com uma lentidão de frade que se regala. Depois um brado:

- Óptimo!... Ah, destas favas, sim! Oh, que fava! Que delícia!

E por esta santa gula louvava a serra, a arte perfeita das mulheres palreiras que em baixo remexiam as panelas, o Melchior que presidiu ao bródio…

-Deste arroz com fava, nem em Paris, Melchior amigo!” 

 

Queirós E., A Cidade e as Serras, pag 111.

 

O que preparar:

 

  1. 1 Kg de favas;
  2. 50g de margarina ou manteiga;
  3. 1 dente de alho;
  4. 1 cebola;
  5. 1 raminho de cheiros ( salsa, folha de loureiro e folha verde do alho francês);
  6. 150g de bacon;
  7. 150g de chouriço de carne;
  8. 1 dl de vinho branco;
  9. 0,5 l de água;
  10. 4 salsichas frescas;
  11. 400g de arroz;
  12. Sal e pimenta a gosto.

 

Como preparar:

 

Cortar o bacon em dados, o chouriço em rodelas e as salsichas em pedaços.  Descascar e limpar as favas. Picar a cebola e o alho.

 

Deitar numa caçarola a margarina, o bacon, o alho, a cebola e o remo de cheiros ( estes devem estar unidos com uma fita). Mexer ocasionalmente e, quando começar a lourar, deitar as rodelas de chouriço. Continuar a mexer sobre o lume, deixando alourar e juntar o vinho branco. Deixar suar um pouco, cerca de 1’, e juntar 0,5l de água. Deixar ferver durante 25’. Juntar as favas e as salsichas, juntar mais um pouco de água e deixar ferver mais 10 ou 15’, conforme as favas sejam mais ou menos tenras.

 

Escorrer o caldo dos sólidos, para ser medido pois deverá ser o dobro do arroz que se vai juntar. Assim, medir o caldo e juntar novamente às favas levando a ferver. Rectificar os temperos com sal e pimenta e juntar o arroz ( para cada 2 medidas de caldo, medir uma de arroz).  Deixar levantar fervura, mexer e retirar do lume.

 

Levar a caçarola tapada ao forno a 200ºC durante 15’. Ao fim deste tempo, esperar cerca de 2 a 3’ antes de destapar a caçarola.

 

Servir, decorado com tiras de pimentão vermelho. Delicioso;desdte arroz com fava, nem em Paris...

 

Mãos à obra. 

tags: ,
publicado por Maria às 08:00
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
21
22
28
29
últ. comentários
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
Top blogs de receitas
blogs SAPO