Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31
subscrever feeds
Posts mais comentados
30
Dez
12

Venho deixar um mimo para a mesa de fim de ano, mimo delicioso e muito simples de preparar.

Como nao sou supersticiosa, acredito que o ano de 2013 sera um tempo de mudanca.

Mudanca, nao implica que seja para melhor. Porem, acredito que para mim, o sera. Desejo o mesmo para todos os que me visitam.

Feliz ANO NOVO!{#emotions_dlg.king}

 

O que preparar:

  1. 2 claras de ovo;
  2. 2 cup de coco seco ralado;
  3. cup de acucar.

Recheio:

  1. 1cup de natas;
  2. 200g de chocolate negro;

1 cup = 250 ml


Como preparar:

Pre aquecer o forno a 180C. Numa taca misturar as claras, o acucar e o coco. Com as maos molhadas, acondicionar a massa formada em forminhas pequenas, pressionando por forma a forrar o interior das formas com a "pasta" de coco.

Levar ao forno pre aquecido durante cerca de 8 a 10' ou ate ficarem douradas.

Retirar do forno e deixar arrefecer durante cerca de 1'. Retirar delicadamente das formas e colocar as formas de coco em cima de uma rede para arrefecer.

Entretanto, preparar o recheio. Colocar as natas numa cacarola e levar a lume medio. Aquecer ate quase ferver. Retirar do lume. Acrescentar o chocolate previamente picado e mexer vigorosamente ate este derreter e ficar o creme macio.

Verter o chocolate nas formas de coco e levar ao frigorifico pelo menos 10' ou ate o chocolate estar firme. Servir como sobremesa, com cafe ou com bagas.

Maos a obra.


Adaptada da Donna Hay do livro Cozinha Rapida para Saborear Devagar.

 

 

publicado por Maria às 15:32
19
Dez
12
É Natal e Natal pede comidas reconfortantes. Comidas de forno, apetitosas e saborosas, daquelas que enquanto cozinham emanam um cheirinho pela casa que, só de o sentirmos, nos sentimos felizes.
Esta receita que hoje trago, de cozimento lento e coberta com um delicioso crumble, é muito adequada para estes dias que se aproximam. 
É daqueles pratos que nos deixa tempo para a familia pois, depois dos preparativos iniciais, nao pensamos mais nela, ate sair do forno. Aí, bem, aí, espera-nos uma refeiçao tão deliciosa que apetece saborear devagar, sem pressas ficando no fim com muita pena que tenha terminado. 
O que preparar:
  1. 1 kg de pá de porco sem osso e cortada em cubos,
  2. 1 Cebola grande cortada em rodelas finas
  3. 2 Dentes de alho picados
  4. 3 c chá de vinagre de xerez
  5. 250 de chouriça em rodelas
  6. 1 c chá de sementes de funcho grosseiramente esmagadas
  7. 400g de tomate pelado em cubos
  8. 2 Pimentos em tiras
  9. Azeite q.b.
  10. 1 Copo de vinho branco

(para o crumble)

  1. 2 Fatias de pão duro ralado
  2. Raspa de 1 limão
  3. 1 Ramo pequeno de salsa picada
  4. Azeite q.b.
Como preparar:

Aquecer um pouco de azeite no wok e saltear a carne até dourar. Retirar a carne e na mesma gordura refogar a cebola e o alho até amolecer. Juntar o vinagre e assim que começar a borbulhar adicionar a chouriça, mexendo até começar a largar cor.

Juntar as sementes de funcho e a carne, tempar de sal e juntar o tomate e o pimento.

Deixar frigir um pouco e regar com o vinho.

Pré aquecer o forno a 140º

Quando o estufado retomar a fervura, passá-lo para um tabulero de forno, tapar com papel de alumínio e colocar no forno durante 2 horas. Passado esse tempo, destapar e deixar ficar mais 30´.

Para o crumble: 

Saltear as migalhas de pão ( ralo na Bimby, mas pode ser ralado em qualquer triturador) num pouco de azeite quente, juntar o limão e a salsa e envolver Servir a carne bem quente polvilhada com o crumble.

Maos à obra.


Receita baseada no blog Tachos de Ensaio

publicado por Maria às 18:22
13
Dez
12

 

 

 

A Marmita escolheu o mote. Que me predoem as outras anfitrias, mas foi o meu favorito. Foi pelo menos, o que me proporcionou mais prazer a elaborar. E com esta minha convidada para jantar, venho participar no desafio que nasceu pelas maos da Anasbageri e que ja vai na 9 edicao. A anfitria e, desta feita, como referi atras, a minha querida e estimada amiga Marmita.


Perdoem-me, mas este post e carregado de emocoes. E consagrado ao tempo perdido, a "Africa Minha", a cidade de minha infancia.

 

Com uma saudade de me corroi a alma, tao dolorosa que ate doi no peito, convido para jantar a cidade de Benguela, a cidade do meu coracao.

 

Nao tem palacios nem rainhas e princesas, nao faz parte dos roteiros turisticos internacionais, nao e um "must" conhecer Benguela. Acreditem, porem, que quem a conhece, nao vive sem la voltar. Ou, pelo menos, com esse sonho.

 

Vulgarmente, e passados tantos anos do nosso ultimo encontro, sonho que percorro as suas ruas, que sou abracada pelo ser ar quente e doce, que vou pela mao do meu pai ou da minha mae, a saltitar de desenho para desenho nas calcadas portuguesas que pavimentam os seu largos passeios ou os seus belos jardins e, para mim, essa ilusao faz-me as vezes da realidade.

 

Nesse sonho, vou ao colegio Nossa Senhora da Conceicao, das irmas Doroteias, onde cursei a instrucao primaria.

 

 

 

 

Vou ao cinema Monumental onde, aos Domingos ia, religiosamente, ver o filme da matine. Vou ao cinema Kalunga, o cinema ao ar livre, onde vi pela primeira vez o filme Benhur.

 

 

 

 

 

 

 

 

Vou tambem a linda igrejinha do Popolo onde fui baptizada e onde fiz a primeira comunhao.

 

 

 

 

 

Vou  aos jardim repletos de vegetacao onde nao faltavam os baloicos onde eu e as minhas irmas subiamos e desciamos as escadas do escorrega, vezes sem conta, enquanto os nossos pais cogitavam, sentados num banco, os planos que tinham para nos.

 

 

 

 

 

Vou a Baia Azul ao Domingos de manha, onde merendamos os paes de leite preparados pela minha mae. Ou vou a praia do Alexandrino ( ou praia do Sombrero) aos Sabados a tarde mergulhar em aguas calidas e carregadas de sal . 

 

Um dia, quem sabe, percorrerei esses caminhos guardados no bau das minhas memorias,  que me sao tao gratas e preciosas.

 

E, tal como reza a letra da famosa musica dos Duo Ouro Negro:

 

"Quero chegar de madrugada

 

Para ver o sol raiar

 

Quero chegar de madrugada

 

P'ra ninguem ver se eu chorar"

 

Tambem vive em mim a esperanca de que um dia, voltando ao po da terra, seja da terra quente da minha Terra que, na verdade nunca foi minha, mas que a sinto como tal. 


 O por do sol  no "Sombrero" e dos espetaculos naturais mais belos que se pode assistir.

 





Siripipi de Benguela.

 

 

E agora, partilho convosco a receita do prato que lhe servi, receita do seu repertorio da maravilhosa gastronomia que nos tem para oferecer.


Doce de Banana

O que preparar:

  1. 6 bananas;
  2. 300g de acucar;
  3. 1,5 dl de agua;
  4. 6 ovos

 

 

 

Como preparar:

 

Leva-se um tacho ao lume a água e o açúcar,  deixando ferver até obter ponto de fio fraco.

 

Juntam-se as bananas cortadas às rodelas que se deixam ferver até se desfazerem.

 

Tira-se o tacho do lume e deixa-se arrefecer um pouco. Adicionam-se as gemas batidas e passadas por um coador de rede e volta novamente ao lume para engrossar, sem deixar talhar as gemas. Deixa-se arrefecer mais um pouco e de seguida juntam-se as claras batidas em castelo firme, envolvendo bem as claras sem as bater.

 

Divide-se o preparado em tacinhas ou numa taça grande. Serve-se bem fresco.

 

 

A fotos apresentadas foram, na sua totalidade, extraidas de sites da net, sobre Benguela. Que me perdoem os seus autores pelo plagio e muito obrigada pela divulgacao das imagens. 

publicado por Maria às 19:57
07
Dez
12
E porque a epoca do Natal ja abriu, aqui deixo mais uma sugestao docinha e deliciosa para a mesa da consoada. A receita fui busca-la a um dos meus blogs favoritos cuja a autora e uma das minha amiguinhas de eleicao. Adaptei-a muito ligeiramente ao meu gosto. 
Obrigada querida Ginja, por partilhares receitas fantasticas, sempre com um resultado soberbo.

O que preparar:

  1. 2 ovos
  2. 1 e 1/2 chávena de açúcar
  3. 3/4 chávena de óleo
  4. 1 colher (sopa) de raspa de limão
  5. 2 colheres (sopa) de sumo de limão
  6. 1 chávena de butermilk
  7. 2 chávenas de farinha de trigo
  8. 1 colher (chá) de fermento

 

Para a calda de cobertura:

  1. 3/4 chávena de açúcar
  2. 1/4 chávena de sumo de limão
  3. raspa de limão para enfeitar

 

1 chavena = 250 ml

butermilk caseira - colocar na chavena de leite uma colher de sobremesa de sumo de limao. esperar 15' e esta pronta a ser usada.

 

Como preparar:

Untar uma forma com manteiga e polvilhar com farinha. Reservar.

Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Numa taça juntar os ovos com o açúcar e bater muito bem com a batedeira, até a mistura ficar espumosa e volumosa. Adicionar o óleo, o sumo e raspa de limão e bater muito bem.

Juntar a butermilk e misturar. Peneirar a farinha e o fermento e envolver delicadamente.

Colocar a mistura na forma e levar ao forno até cozer cerca de 30'.

Para a cobertura, misturar muito bem o açúcar com o sumo de limão até ficar homogéneo. Levar ao lume esta mistura ate fever deixando a fervilhar cerca de 3'.

Desenformar o bolo ainda quente, pica-lo com um garfo e verter a calda quente com cuidado. Enfeitar com raspas de limão.

Maos a obra.

 

tags: , ,
publicado por Maria às 08:00
04
Dez
12

A simbiose de maca e canela sao a formula magica para um casamento prefeito em docaria. Perdi a conta dos bolinhos que experimentei com esta combinacao divinal de sabores. Uns excelentes, outros nem tanto assim. Tenho um caderninho onde aponto, os da minha preferencia. Presentemente, o que esta no "top" e este que vos trago hoje e que me foi "ensinado pelo Jamie Oliver.

E por ser, sem sombra de duvida, o melhor bolo com maca e canela que comi ate hoje, achei que merecia ser medalhado e fotografado.

E porque tambem achei que exigia ser partilhado, aqui vos trago esta delicia do "melhor bolo de maca e canela do mundo". Pelo menos do meu.

O que preparar:

  1. 300g de farinha com fermento;
  2. 175g de acucar amarelo fino;
  3. 200 ml de leite meio gordo;
  4. 175 ml de oleo de semente de uva ou de girassol ( usei este);
  5. 1 ovo grande;
  6. 1 limao;
  7. 1/2 colher de sopa de canela em po;
  8. 1/2 colher de sopa de gengibre em po;
  9. 2 macas em fatias finas ( usei maca reineta);
  10. 4 colheres de sopa de acucar mascavado claro.

Como preparar:

Pre aquecer o forno a 180C. Forrar uma forma com papel vegetal. Misturar todos os ingredientes ( de 1 a 5 inclusive),numa tigela ate ficar uma massa suave .

Ralar o limao, a casca, e juntar a massa juntamente com a canela e gengibre.

Cortar as macas em fatias finas, depois de descarocadas e descascadas. Coloca-las numa taca e espremer por cima o sumo de 1/2 limao. Acrescentar 3 colheres de sopa de acucar mascavado claro e misturar com as maos garantindo que as fatias de maca ficam cobertas.

Transferir a massa para a forma forrada, cobrir com as fatias de maca, enterrando ligeiramente na massa. Espalhar por cima a colher de sopa de acucar restante e levar ao forno durante cerca de 40' ou ate a massa subir e ficar dourada. Deixar arrefecer por alguns minutos na forma  transferido depois de desenformado para uma rede, ate arrefecer.

Maos a obra.

 

tags: ,
publicado por Maria às 08:00
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31
últ. comentários
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
De facto cavala e sarda não são o mesmo peixe, as ...
Top blogs de receitas
blogs SAPO