Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
17
19
21
23
24
26
27
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
18
Mar
13

Tudo perdura no tempo,  mas torna-se tão pálido como aquelas fotografia muito antigas que ainda foram fixadas em chapas metálicas. A luz e o tempo retiram das chapas as tonalidade nítidas e características dos traços. É preciso rodar a fotografia e encontrar uma certa refracção da luz para podermos reconhecer na obscura chapa metálica a pessoa cujas feições foram absorvidas pela placa. Deste modo se desvanecem  no tempo todas as lembranças humanas. Mas um dia, a luz cai de um lado qualquer e tornamos a ver um rosto, um momento, uma parte de vida.

- Hoje vamos fazer bolachinhas. “Tabuinhas de lavar”.

As meninas, na sua batinha branca, protegida com pequenos aventais, mergulhavam as suas pequenas mãos na farinha transformada em massa de bolachinhas, sobre uma mesa grande debaixo de um caramanchão.

- Mamã, hoje aprendemos a fazer “Tabuinhas de lavar”. Posso fazê-las para o lanche?

As pessoas só se recordam dessas coisas mais tarde. Passam dezenas de anos, atravessam estepes e florestas e, de repente, ouvem os risos de infância, as palavras das professoras, as benevolências da mãe, as palavras antigas.

E aí, apercebem-se que viveram, há muitos anos idos, numa condição maravilhosa, sem nome, num certo estado de graça.

Nada é tão delicado como as relações de infância. Tudo o que a vida oferece mais tarde, os desejos subtis ou brutos, os sentimentos fortes, as ligações de amizade ou paixão, tudo isso é mais rude, mais desumano.

 Hoje, partilho convosco, um pedaço da minha infância onde a luz caiu, de um lado qualquer.

Tabuinhas de Lavar

O que preparar:

  1. 0,5 Kg de farinha de trigo;
  2. 200g de manteiga;
  3. 200g de açúcar;
  4. 1,5 colher de chá de feremnto em pó.
  5. 1 pitada de sal;
  6. 3 ovos.
Como preparar:
Quem tem Thermomix / Bimby, deverá colocar todos os ingredientes no copo, excepto os ovos, durante 2´à velocidade 3. Ditar os ovos e marcar mais 2´à velocidade 4.
A massa fica pronta a ser utilizada. Porém, e para melhor moldar, deverá ser refrigerada no frigorífico durante 30´.
Quem fizer manualmente, deverá deitar a farinha sobre a bancada, abrir uma cova no centro e deitar aí o fermento e a manteiga. Ir amassando com as pontas dos dedos para não amolecer muito a massa. Imcorporar o açúcar e, por fim, os ovos um a um.
Formar rolinhos pequeninos espalmá-los. Com um garfo enfarinhado, fazer pressão sobre um dos lados das bolachas de molde a formar  sucalcos semelhantes ao efeito das antigas tábuas de lavar a roupa.
Levar em tabuleiros untados ou forrados a papel vegetal ou silicone ao forno pré aquecido a 200ºC durante cerca de 15´ou até estarem douradinhas. Retirar e arrefecer sobre uma grade.
Esta quantidade rende entre 45 e 50 bolachinhas.
Esta receita, que julgava perdida, foi preservada por uma das meninas da bata branca que gentilmente partilhou com as amigas, passados tantos anos. Obrigada, querida B.

tags:
publicado por Maria às 19:04
16
Mar
13

Contrariamente à esmagadora maioria das pessoas, não sou muito apreciadora de bolo de iogurte pois sempre o achei “desconsolado”, falando à boa maneira madeirense da minha querida avó.

Por isso, quando vi a receita desta quinzena do “Doire às Sextas” desinteressei-me.

Mas, como costumo fazer um bolinho para o lanche dos Sábados, e tinha Marmelade de laranja cuja receita está aqui, pus mãos à obra, até porque li opiniões bastantes entusiásticas de outras Dories, acerca do resultado.

É um bolo muito fácil e bastante saboroso. Mesmo apropriado para um  five  o´clock  tea, num dia chuvoso como o de hoje.

O que preparar:

Bolo

 140g de farinha de trigo

50g de farinha de amêndoa - usei de avelã, pois era o que tinha na despensa.

2 colheres (chá) de fermento em pó

1 pitada de sal

200g de açúcar - usei 170g e acho que é a medida ideal.

raspas da casca de 1 limão

1 iogurte natural

3 ovos grandes

½ colher (chá) de extracto de baunilha

120ml de óleo - usei óleo de amendoim

 

Cobertura

 ½ chávena de compota de laranja

1 colher (chá) de água

 

Como preparar: 

Pré-aquecer o forno a 180°C. Untar generosamente com manteiga uma forma de bolo inglês de 21x11xcm.

Na batedeira, misturar a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o fermento e o sal. Noutra tigela, juntar o açúcar e as raspas de limão, esfregando os ingredientes com as pontas dos dedos até o açúcar ficar perfumado.

Juntar o iogurte, os ovos e a baunilha e bater vigorosamente com o batedor de arame até obter uma mistura homogénea. Junte os ingredientes secos. Agora, com uma espátula de silicone, incorporar o óleo.

Transferir para a forma e levar ao forno até que o bolo cresça, doure e comece a soltar-se da forma, aproximadamente 50 minutos.

Arrefece sobre uma grade por 5 minutos antes de desenformar. Deixar arrefecer completamente.

 

Calda: juntar a compota de laranja e a água num tacho e levar a lume médio, mexendo, até derreter. Pincelar a calda ainda quente sobre o bolo. Deixar arrefecer antes de servir.

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 14:43
14
Mar
13

 

Gosto muito, mas muito mesmo de quiches. A minha favorita é a mais simples, a Lorraine, mas não deixo de gostar de tantos outros recheios que a imaginação me permite. Sim, porque uma quiche tem isso mesmo, versatilidade. Descobri, entretanto e há pouco tempo, que consigo fazer a massa em casa sem qualquer dificuldade e, garanto-vos, em experimentando fazer em casa, nunca mais nos passa pela cabeça comprar massa feita. Para além de ficar muito mais económica, é muito fácil e rápida de fazer e a quiche fica extraordinariamente mais saborosa. Tal como numa pizza, o segredo está na massa. Confiram, se puderem.

Distraí-me um pouco com a quantidade de massa que fiz pois excedeu muito a forma que utilizei. Porém, a massa é tão saborosa que resolvi “fechar” a quiche. O resultado foi engraçado e os miúdos gostaram.

O que preparar:

Para a massa:

  1. 200g de farinha de trigo;
  2. 100g de manteiga;
  3. 1 colher de sopa de leite;
  4. 1 ovo;
  5. 1 pitada de sal.
Como tenho Thermomix/Bimby, deito od inferdiente no copo e marco 30'' vel. 4. Marco de seguida 2' vel. Espiga. Está pronta a massa. Basta estender com o rolo sobre suprefície enfarinhada formando um círculo fininho. Forrar a forma de aro amovível com a massa.
Caso não haja a possobiliadde de fazer com a máquina, deve-se colocar a farinha sobre a bancada, abrir um buraco no meio e deitar a manteiga amolecida. Envolcer a manteiga com a farinha indo amassando com os dedos. Juntar o ovo, o leite e o sal. Amassar até dormar uma massa consistente mas macia.

Para o recheio:
  1. 1/2 frango cozido ou assado previamente desfiado;
  2. 1/2 molho de espinafres lavados e secos um papel ou pano;
  3. 3 ovos;
  4. 1 pacote de natas ou, em substituição, 1 iogurte grego natural;
  5. queijo parmesão ralado no momento;
  6. sal e pimenta a gosto.
Colocar o frango desfiado no fundo da forma forrada com a massa. Por cima, espalhar as folhas de espinafres lavadas e secas. Temperar com pimenta e queijo parmesão ralado. Numa taça, bater os ovos e juntar as natas ou o iogurte. Mexer bem e verter sobre o preparado anterior. Polvilhar generosamente com mais parmesão ralado e "fechar" com as massa que excede as paredes da forma. Levar ao forno cerca de 30´.
Oportunamente, darei mais ideias de recheios.
Mãos à obra. 

publicado por Maria às 18:56
11
Mar
13

 

 

 

Vi esta receita ser confeccionada pelo Chef Henrique Sá Pessoa e tentei reproduzi-la. Porém, fiz algumas alterações como a substituição do creme de manteiga por iogurte grego natural pois acho que o salmão, sendo um peixe tão gordo, ficaria um pouco enjoativo adicionando-lhe mais gordura. Não me arrependi e será receita a repetir pois recebeu elogios.

O que preparar:

  1. 4 filetes de salmão;
  2. 1 placa de massa folhada;
  3. 1 iogurte grego natural;
  4. Ervas frescas picadas ( usei alecrim, salsa e manjericão);
  5. Casca ralada de ½ limão;
  6. Sal e pimenta a gosto.
  7. Gema de ovo para pincelar os folhados.

Como preparar:

Limpar bem os filetes de salmão e secá-los e papel de cozinha. Numa tacinha, misturar o iogurte com as ervas bem picadas e a raspa da casca do limão. Abrir a massa folgada sobre a bancada e cortar em 4 partes iguais. Colocar no mio de cada peça cortada o filete de salmão. Temparar com sal, pimenta e cobrir a parte de cima do peixe com o creme do iogurte. Envolver cada filete com a massa follada fechando bem. Calcar as extremidades com um garfo. Pincelar com gema de ovo e levar num tabuleiro ao forno durante cerca de 20´, até as massa folhada alourar.

Servir com uma salada verde ou legumes cozidos.

Bom apetite.

publicado por Maria às 19:57
10
Mar
13

Enquanto não chega a verdadeira época dos morangos aproveito os que se vendem, de estufa e, artificialmente “enormes” , para fazer saladas e bolinhos. A receita que hoje trago é muito simples e agradável. Faz-se num ápice e é uma sobremesa muito agradável, podendo até fazer-se acompanhar por natas batidas ou uma bola de sorvete.

O que preparar:

  1. 150g de farinha de trigo;
  2. 1 colher de chá de fermento em pó;
  3. 150g de açúcar;
  4. 2,5 dl de leite;
  5. 3 ovos;
  6. 0,5 Kg de morangos
  7. Açúcar em pó para polvilhar.

É ainda necessário um pirex que deve ser untado com manteiga.

Como preparar:

Escolher e limpar os morangos, secando-os muito bem.

Misturar o açúcar com a farinha, juntar o fermento. Adicionar o leite em fio, mexendo bem. Adicionar os ovos um a um, mexendo bem em cada adição.

Untar muito bem um pirex com manteiga e verter a massa. Espalhar por cima metade da quantidade de morangos.

Levar ao forno pré aquecido a 180ºC, durante cerca de 40´. A meio da cozedura, espalhar os restantes morangos sobre a massa.

Quando cozido, retirar do forno, desenformar ainda quente e polvilhar com açúcar em pó.

Mãos à obra

publicado por Maria às 13:44
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
17
19
21
23
24
26
27
30
31
últ. comentários
No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fritas sã...
 No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fri...
Minha avó, que cresceu em Mogadouro, muitas vezes ...
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
Top blogs de receitas
blogs SAPO