Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
16
17
18
20
22
23
25
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
26
Jul
13
Salsa verde é um molho italiano que tempera peixes, saladas, carnes frias e até barra, simplesmente, uma fatia de pão torrado. É delicioso e muito fácil de preparar.
Adaptei esta receita do livro "Recipes and Dreams" da Tessa Kiros. Espero que gostem pois cá em casa foi muito elogiada.
O que preparar:
  1. 1 truta salmonada ;
  2. flor de sal:
  3. 1 limão ( casca e sumo).
Para o molho:
  1. 2 colheres de sopa de salsa picada;
  2. 2 colheres de sopa de estragão;
  3. 1 colher de sopa de folhas de menta finamente picada;
  4. 2 dentes de alho picados;
  5. 2,5 colheres de sopa de alcaparras em coserva de vinagre escorridas e picadas;
  6. 3 filetes de acnchova picados;
  7. 200ml de azeite;
  8. 1 colher de sopa de mostrada Dijon;
  9. 1 pitada de piri piri em flocos;
  10. pimenta preta moida na hora.

Como preparar:

O molho:

Misturar as ervas, as alcaparras e as anchovas. Misturar a mostarda e o azeite numa taça. Juntar as duas misturas. Adicionar o piri piri e a pimenta. Mexer bem e levar um pouco ao frigorífico para que os sabores se misturem.

 

A truta:

Cortar os lombos da truta e descartar a cabeça e as espinhas. Colocar num tabuleiro de forno untado com azeite e temperar o peixe com flor de sal, raspe a sumo de 1 limão. Levar ao forno a 160ºC durante cerca de 10 minutos.

 

Servir os filetes de truta temperados com o molho e acompanhados de batatinha nova e cozida com pele.

Mãos à obra.

 

tags: ,
publicado por Maria às 17:30
24
Jul
13
A ameixa, apesar de ser da família da cereja e do pêssego ( as suas ávores), é um parente pobre daqueles dois  pois não é tão ansiada nem elogiada por tantos de nós. Pessoalmente, se vejo os três frutos lado a lado, vou primeiro para as cerejas, em segundo lugar para os pêssegos e só por fim para as ameixas. E, quando como uma ameixa, doce e sumarenta interrogo-me porque a preteri perante as outras duas frutas. E nessa altura acho que fui injusta para tão delicioso fruto.
Para compensar tamanha e infundada injustiça, decidi fazer dela rainha. E, para esse efeito, nada melhor que fazer um geladinho de Ameixa Preta. Ficou nas lista dos favoritas cá por casa.
O que preparar:
  1. 5 a 6 ameixas grandes e maduras;
  2. 50ml de água;
  3. 2 + 3 + 3 colheres de sopa de açúcar;
  4. 200ml de natas para bater;
  5. 3 claras de ovo;
  6. algumas gotas de sumo de limão.
Como preparar:
Descaroçar as ameixas e colocá-las num tacho juntamente com 2 colheres de sopa de açúcar. Levar ao lume juntamente com a água. Deixar ferver lentamente até as ameixas se desfazerem completamente ficando um doce ligeiro ( nem muito líquido nem muito consistente). Esta operação demora cerca de 10 minutos. Retirar do lume e deixar arrefecer completamente.
Misturar 3 colheres de sopa de açúcar nas claras e batê-las até ficarem em castelo. Misturar o doce de ameixa com cuidado para as claras não perderem o ar. Bater as natas juntamente com as restantes 3 colheres de sopa de açúcar juntando algumas gotas de sumo de limão. Quando montarem juntá-las ao preparado de doce de ameixa e claras. Deitar a mistura na máquina de gelados e proceder seguindo as instruções do fabricante. Na minha máquina deixo cerca de 30 minutos até atingir o ponto desejado.
Colocar no congelador até servir.
Em alternativa à máquina de gelados, pode colocar directamente no congelador tendo o cuidado de, nas primeiras 2 horas mexer energicamente com um garfo de 1/2 em 1/2 hora. Porém, a adição das claras em castelo evitam a formação de cristais de gelo.
Mãos à obra.

 

 

 

tags: ,
publicado por Maria às 18:35
21
Jul
13
Tenho por norma não colocar o peixe inteiro no prato. Em primeiro lugar porque me impressiosa ver a cabeça do dito no espaço que vou comer e, em segundo lugar, porque me incomoda estar a escolher as espinhas para conseguir degustar o peixe. Assim, sirvo sempre o peixe em filetes ou, em alternativa, quando o peixe é pequeno, exteraio os lombos retirando-lhes toda e qualquer espinha nem que para isso tenha de usar uma pinça guardada para esse efeito. Esta regra só não aplico à sardinha assada e ao carapau pequenininho. De resto, sigo sempre este procedimento.
Os lombos ou filetes de peixe não devem ser muito cozinhados pois correm o risco de ficarem secos. O tempo para cozinhar não deve exceder os 6 a 10 minutos. Resulta sempre numa refeição rápida e agradavelmente saborosa, como este robalo que trago hoje e cuja receita foi insparada numa sugestão do Chef José Avillez o meu Chef português favorito a seguir ao Chefe Silva, claro.
O que preparar:
  1. 4 robalos pequenos ( o lombos);
  2. 300g de batata para cozer;
  3. 1 dente de alho esmagado;
  4. 1 folha de loureiro;
  5. 50g da azeitonas picadas;
  6. 8 tomate cereja;
  7. azeitona em paste a gosto;
  8. folhas de manjericão a gosto;
  9. azeite, sal, pimenta e flor de sal a gosto.

Como preparar:

Temperar os lombos com sal e um fio de azeite. Colocar com a pele virada para cima num tabuleiro e ir ao forno untado com um fio de azeite. Juntar o tomate cereja cortados em metades. Lavar ao forno pré aquecido a 160ºC durante 6 minutos.

Entretanto cozer as batatas com pele em água com sal, azeite um dente de alho esmagada e uma folha de loureiro. Quando cozidas pelar. Caso estejam muito quentes fazer esta operação segurando as batatas com a ajuda de um garfo. Migar as batatas com um esmagador não as transformando, porém, em puré. Temperar as migas com as azeitonas picadas, as folhas de manjericão picadas também, o azeite, o sal e a pimenta.  Servir os robalos sobre as migas de batata e os tomatinhos assados. Servir à parte uma colher de pasta de azeitonas e finalizar com folhas de manjericão e flor de sal sobre o robalo.

Mãos à obra.

tags:
publicado por Maria às 17:36
19
Jul
13
Foi com alguma satisfacão que recebi a notícia do tema desta quinzena. Gelados, aquela coisa fresquinha, docinha e com que eu, simplemsmente, me delicio. Nas minhas experiências ""sorvetícias" já tinha feito gelado de pêssego, que ficou muito agradável. Esta, sendo da Dórie e levando o clássico custard, deduzi que só poderia ser do meu agrado.
Porém, confesso que a minha opinião acerca de gelados com custard se mantêm ou seja, é muito bom para gelados de natas, baunilha e chocolate; para gelados de fruta torna-os muito densos. Para além disso, apesar de ter reduzido a quantidade de açúcar para metade, ficou muito doce pelo que tenho a certeza que basta o mel para adoçar este gelado.
Finalmente, acho prefeitamente dispensáveis os bocadinhos de fruta que se junta quase no final. Congelam dando a impressao, ao comermos o gelado, que este ficou com cristais de gelo. Portanto, não é , de todo, uma mais valia.
Mas, no cômputo geral, ficou agradável, ou não fosse um gelado!
O que preparar:
  • 4 pêssegos maduros;
  • ¼ cup de mel;
  • 1 cup de leite gordo;
  • 1 cup de natas;
  • 3 gemas de ovo de ovos grandes;
  • ½ cup de açúcar;( usei 1/4)
  • 2 colheres de chá de baunilha. ( usei vagem de baunilha sem as sementes)
Como preparar:

Cortar 2 dos pêssegos em pedaços pequenos e colocá-los numa panela pequena. Juntar o mel, levar ao lume e quando ferver, baixar o lume, tapar a panela e deixar amaciar a fruta cerca de 10 minutos. Colocar o preparado num liquidificador ou processador e reduzir a puré. Reservar.

Misturar o leite e as natas e levar ao lume até levantar fervura.

Entretanto, misturar as gemas com o açúcar numa tigela refratária e mexer com uma vara de arames. Verter lentamente sobre esta mistura o leite e natas fervidos e ainda quentes, mexendo sempre para não talhar as gemas. Deve-se deitar metade do líquido, mexer e só depois se deve deitar a outra metade, muito lentamente. Deitar a mistura numa panela e levar ao lume, mexendo sempre, até engrossar. Voltar a deitar a mistura numa tigela refratária e nessa altura adicionar a baunilha e o puré de pêssego que havia sido reservado.

Refrigerar o preparado. Quando estiver bastante fresco vertê-lo para a cuba da máquina de gelados e proceder seguindo as instruções do fabricante.

Partir em cubos pequeninos os restantes pêssegos ( 2) e juntar ao gelado quando este já estiver com consistência espessa.

Quando pronto na máquina de gelados, levar ao congelador mais cerca de 2 horas em caixa fechada, até que esteja pronto para ser retirado com a colher.

Mãos à obra.

publicado por Maria às 08:00
15
Jul
13
Uma sobremesa muito fácil  de preparar, fresca e com um efeito muito bonito. Os pêssegos estão ao rubro por isso, há que aproveitar.
O que preparar:
  1. 3 pêssegos grande ou 6 pequenos maduros mas firmes;
  2. 250ml de água;
  3. 200g de açúcar;
  4. 1 vagem de baunilha sem sementes ou, em alternativa, 1 pau de canela;
  5. 2 estrelas de aniz ( opcional);
  6. 1 punhado de cerejas, morangos ou amoras;
  7. 1 bola de gelado de sabor à escolha.

Como preparar:

Cortar os pêssegos com a casca ao meio e rodar cada metade em sentido inverso para retirar o caroço. Levar ao lume o açúcar, a água, a vagem de baunilha e as estrelas de aniz ao lume. Quando começar a ferver, contar 5 minutos. Ainda com a calda ao lume, colocar os pêssegos com a parte cortada virada para baixo deixando-os cozer entre 2 a 3 minutos. Poderá ser um pouco mais dependendo da consistência da fruta. Estará no "ponto" quando se introduzir uma faca e se sentir a fruta macia. Retirar para um prato e deixar arrefecer. Reservar a calda. Esta fica com uma cor linda.Quando os pêssegos estiverem frios, retirar com os dedos a pele pois sairá facilmente, descartando-a.

Entretanto, retirar o caroço às cerejas e colocá-las num copo juntamente com 2 ou 3 colheres da calda do pêssego. Triturar de forma mais ou menos grosseira, conforme se quiser o coulis. 

Servir uma metade de pêssego regado com um pouco de calda, acompanhado com uma colher de sobremesa de coulis e uma bola de gelado de sabor à escolha ( fica muito bem o de baunilha).

A calda que sobrar poderá ser aproveitada para cozer novos pêssegos.

Mãos à obra.

 

Fonte

 

publicado por Maria às 16:15
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
16
17
18
20
22
23
25
27
28
29
30
31
últ. comentários
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
Top blogs de receitas
blogs SAPO