Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Posts mais comentados
23
Mar
12

Esta noite tive um sonho.

 

Sonhei que me elevei acima desta triste terra e vi do alto que a natureza não esgotou todas as suas riquezas e belezas neste pequeno pedaço de pó.

 

Deste modo, tal como os que viajam para países longíquos, pude avaliar melhor a vida e atribuir a cada coisa o seu justo valor.

 

Decidi desprezar as ninharias às quais a maioria de nós se prende e admirar mais o que, realmente, se deve considerar grande: o amor e os afectos familiares.

 

O conhecido é finito, o desconhecido, infinito; intelectualmente estamos numa ilha no meio de um oceano ilimitado de inexplicabilidade.

 

Morremos? Não sei.

 

Para onde vamos? Também não sei.

 

Só sei que a minha vista não deverá alcançar apenas o que está perto. Sei também que as pessoas que amamos não morrem. Sei que o meu pai não se foi embora . Saiu somente do alcance da minha vista.

 

 

Ao meu pai, que hoje completaria 77 anos. Cada bolachinha representa cada uma das filhas que eu sei que tanto amava.

 

Feliz aniversário papá. Quem sabe se um dia a minha vista o alcançará…{#emotions_dlg.fallingstar}


Da minha participação desta quinzena não há história nem nada  a anotar pois segui a receita sen qualquer desvio. A receita é tão simples e com tão poucos ingredientes que pouco havia a reinventar. Ainda pensei que poderia usar também amêndoa ou noz em vez de avelã. Mas, como gosto imenso de avelãs, nem isso me apeteceu mudar. 

 

O que preparar:

  1. 1 3/4 chávenas de avelãs finamente moídas;
  2. 1 3/4 chávenas de farinha de trigo;
  3. 200g de manteiga sem sal, à temperatura ambiente ( eu usei 170g e com sal);
  4. 1/2 chávena de açúcar granulado;
  5. 1 colher de chá de extracto de baunilha;
  6. 1/2 colher de chá de extracto de amêndoas puro;
  7. Açúcar de confeiteiro a gosto para polvilhar e geleia a gosto para rechear.

Como preparar:

Forrar 2 tabuleiros de forno com papel vegetal.

Pré aquecer o forno a 180ºC.

Misturar as farinhas de avelã e trigo. Reservar.

Numa batedeira, com o acessório da pá, bater a manteiga e o açúcar em velocidade média até  se formar um creme fofo,o que poderá demorar 4’., 3 a 4 minutos. Adicionar os extractos e continuar a bater para misturar. Reduzir a velocidade da batedeira e, gradualmente, adicionar a mistura das avelãs e da farinha, misturando apenas até que seja incorporada a massa e fique uniforme.

Com uma colher de chá ou mesmo com os dedos, retirar pequenas porções de massa, enrolá-las entre as palmas das mãos e ir colocando no tabuleiro com uma distancia entre si de cerca de 2cm.

Levar ao forno a assar e, passados cerca de 5’, abrir a porta do forno e com o cabo de uma colher de pau, perfurar cada bolachinha no centro não deixando porém, que o furo fique completo, isto é, que perfure de um lado a outro a bolacha.

Contar 15’ desde o momento em que entram no forno e retirá-las.

Deixar “descansar” cerca de 2’ e transferi-las para uma grelha para arrefecerem por completo. Polvilhá-las com açúcar de confeiteiro e rechear o centro com geleia a gosto.

Eu recheei com geleia de alperce, de ginja e com chocolate as primeiras, previamente,  fervidas e o chocolate derretido.

 

A primeira fornada que fiz foi para o lixo pois, por um irritante acidente, caíram todas ao chão.

A segunda fornada nem chegou a conhecer a lata das bolachas pois desapareceram num ápice.

São muito agradáveis ficando com uma textura areada. O meu recheio eleito foi o de ginja pois, como é ligeiramente ácido, contrasta perfeitamente com o doce da cookie originando um casamento perfeito.

A única coisa que me desagradou nesta receita foi mesmo o título. Nem me atrevi a traduzi-lo para portugês pois ainda fica mais irritante.

De resto, é uma receita a repetir, sem dúvida.

   

publicado por Maria às 08:00
De lia a 23 de Março de 2012 às 10:28
Bom dia Maria,
Que post lindo, embora um bocadito triste e nostálgico, mas bem se percebe o porquê...
As bolachinhas estão lindas e com um ar super delicioso e assim dispostas no vasinho, ainda mais apelativas se tornam.
Um grande beijinho e votos de um excelente fim de semana,
Lia.
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:28
Obrigada, Lia e bom fim de semana também para ti.
Um beijinho
Maria
De Carla a 23 de Março de 2012 às 10:47
Uma boa receita para um linda homenagem. Parabéns!
Beijinhos
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:28
Obrigada, Carla.
Beijinho
Maria
De Ginja a 23 de Março de 2012 às 11:39
Maria,
que texto tão lindo amiga. O amor e os nossos familiares são das coisas mais importantes e fizeste aqui uma bela homenagem ao teu pai.
Depois da primeira fornada que foi parar ao chão, não desististe e cá estão elas, numa foto primaveril, lindas e apetecíveis.
(também não gostei muito do nome delas...)
Um beijinho.
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:30
Beijinho minha querida e bom fim de semana.
Maria
De anasbageri a 23 de Março de 2012 às 14:45

Maria,
Lamento que este seja um dia tão triste...
Fico até sem vontade para dizer seja o que for sobre as bolachinhas...
Um grande abraço.
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:32
Ana, sempre tão gentil.
Obrigada pelo apoio.
Beijinho
Maria
De Cíntia a 23 de Março de 2012 às 16:32
Um beijinhooooo muitooooo grande para ti :*
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:31
Para ti também, Cintia. Bom fim de semana.
Maria
De gina a 23 de Março de 2012 às 19:11
Minha Amiga, que post lindo,!!!! manteiga derretida como sou, logo chorei pensando no meu Pai  que também  aniversariou dia 04 e que hoje é a luz que me ilumina. Belissíma apresentação, bem ao estilo primavera, ficaram muito bonitos e bem moldados. Nunca comi geléia ou doce de ginja, só o licor, fiquei muito curiosa imaginando o sabor.
Como sempre minha amiga, você nos surpreende e encanta com seus post e receitas. Beijinhos da amiga Gina. Amanhã vou postar os meus biscoitinhos.
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:34
Amiga, gostei muito do seu comentário. Fico à espera das suas cookies. Beijinhos e bom fim de semana.
Maria
De Gisela a 23 de Março de 2012 às 21:13
Maria, adorei o teu post, eu perdi o meu pai há 10 anos, mas acredito que ele continua a olhar por nós como sempre fez.
Quanto aos biscoitos, adorei a apresentação e o significado que lhe deste.
Um beijinho e bom fim de semana
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:35
Gisela, obrigada, minha querida.
Beijinho
Maria
De Letícia a 23 de Março de 2012 às 21:31
Maria, que linda forma de homenagear seu pai. E parabéns pela persistência diante da fornada que foi ao chão (eu teria chorado rolando sobre as migalhas).

Beijos!
De Maria a 24 de Março de 2012 às 12:36
Letícia, eu quase que fiz isso, acredite. Obrigada.
Beijinho
Maria
De Filipa a 24 de Março de 2012 às 18:03
Sem palavras......
Fiquei muito emocionada, pois também o meu partiu há 21 anos e a minha mãe há 16......sinto-os como estrelas a olhar por mim.
Daqui te mando um abraço muito forte carregado com muito carinho e amizade.
Um beijo muito doce minha querida♥♥♥
De Maria a 24 de Março de 2012 às 21:52
Pois Pipinha, sentimos que os que amamos não vão embora. 
Beijinhos minha doce amiga
Maria
De Filipa a 24 de Março de 2012 às 18:05
Até me esqueci das bolachinhas:D
Estão lindas e adorei a ideia de serem flores. Lindas e perfeitas:*
De Maria a 24 de Março de 2012 às 21:53
Obrigada Pipinha.
Bom fim de semana
Beijinho
Maria

Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
últ. comentários
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
De facto cavala e sarda não são o mesmo peixe, as ...
Top blogs de receitas
blogs SAPO