Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
18
Mai
14

 

Sob uma chuva miúda, impertinente, mas que enchia a paisagem de uma inusitada e grave beleza, aveludando o verde das folhas e envernizando os troncos cinzentos dos bosques, aterrei na Escócia, deixando para trás o mundo que sempre foi o meu, arrastada pela saudade.

Saudade também deixei para trás, a saudade que durante alguns meses me sufocou sem roubar o ar, que me feriu sem fazer sangrar, que me esmagou sem me fazer doer.

E, ao longo dos primeiros meses, nenhuma força foi suficientemente poderosa para me descolar dos sentidos essa crosta sob a qual palpitava o que de inefável, de subtil, de apenas sugerido, se inoculou em mim como um veneno voluptuosamente activo.

Hoje, ultrapassado o "período experimental", começo a perceber a mensagem que uma amiga que também cá vive, me transmitiu aquando da minha vinda:

- O difícil é o primeiro ano. Depois, começamos a sentir esta terra como nossa e nunca mais queremos voltar”.

Começo a compreendê-la porque eu também me começo a deixar prender pelo irresistível sortilégio que se está a apoderar de mim e que se desprende destas verdejantes paisagens, destes lagos sem fim, deste povo tão organizado e que tão bem acolheu a mim e aos meus.

Começo a sentir-me em casa e com muita vontade de exclamar:

É bom viver na Escócia.

E depois desta minha já longa dissertação inicio assim  a minha participação no projecto da Susana, uma menina que muito prezo, que tem dois  fifis lindíssimos sendo que do mais novo, me sinto uma espécie de madrinha virtual pois assisti, praticamente, à sua gestação e nascimento. Beijinho ao Tiaguinho.

A essência do projecto é, em cada 15 dias, fazermos e publicarmos as receitas do Chef eleito nessa quinzena.

Para a estreia e durante quinze dias o eleito foi: Jamie Oliver.

 O que preparar:

8 salsichas de tamanho médio, de boa qualidade, de preferência, salsichas italianas;

500g de brócolos ou espinafres ou nabiças;

Sumo de metade de um limão;

Azeite, sal e pimenta a gosto;

2 a 3 raminho de tomilho fresco.

 

Para o molho de tomate:

Azeite a gosto;

1 pequena cebola rouxa finamente picada;

3 dentes de alho finamente picados;

1 pequeno pau de canela.

1 a 2 dentes de malagueta seca, finamente picados;

1 colher de sopa de vinagre de vinho;

2 latas de 400g de tomate pelado;

 

Para as lentilhas:

400g de lentilhas verdes;

2 dentes de alho pelados;

1 folha de louro;

1 raminho de salsa picada;

1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto;

1 raminho de tomilho fresto. 

 

Como preparar:

Devemos começar por preparar o molho de tomate.  Deitar um fio de azeite num tacho, juntar a cebola e alho, o pau de canela e a malagueta. Deixar fritar durante cerca de 10 minutos até a cebola estar mole e transparente. Aumentar a intensidade do lume e juntar o vinagre ( irá libertar-se bastante vapor ácido, mas é uma reacção normal). Quando o vapor se libertar, tornar a baixar a intensidade do lume e juntar o tomate pelado e cortado em pedaços pequenos. Deixar cozinha e apurar durante meia hora, lentamente e em lume muito baixo.

Entretanto, passemos às lentilhas e restantes intervenientes:

Ligar o forno a 200ºC.

Colocar as lentilhas dentro de um pote, cobri-las com água e juntar 2 dentes de alho, a folha de louro e alguns pés de salsa. Levar ao lume a ferver até aquelas estarem macias ( cerca de 20 minutos).

Colocar as salsichas num assador e levá-las ao forno pré aquecido durante cerca de 20 minutos para tostarem.

Colocar em água fervente os brócolos ou espinafres ou nabiças, deixar ferver poucos minutos e retirar do lume escorrendo a água. Colocar numa taça temperando com azeite e o sumo do meio limão. Reservar.

Uma vez as lentilhas cozinhadas, retirar a folha de louro, a salsa e escolher quase a totalidade da água de cozedura. Esmagar com as costas de uma colher os dentes de alho, deitar nas lentilhas e temperar com 4 colheres de sopa de azeite e 1 ou 2 colher de sopa de vinagre. Juntar a salsa picada e envolver tudo muito bem.

Empratar agora, por camadas:

Colocar as lentilhas no fundo do prato ou taça de servir, cobri-las com o molho de tomate e, colocar as salsichas no topo. A receita indica que as verduras sejam servidas como acompanhamento mas eu, inicialmente ,não entendi e juntei às lentilhas os espinafres que havia preparado e reservado. Gostei  imenso e de uma próxima vez, fá-lo-ei da mesmo forma.

Finalmente, e como poderão constactar pela foto, substituí as salsichas por peitos de frango partidos em cubos e preparados da mesma forma. Acredito que as salsichas dêm um toque ainda mais especial a este prato mas, desde a data em que assisti a um programa conduzido precisamente por Jamie Oliver onde era explicado, passo a passo, a forma e os ingredientes constantes no enchimentos das salsichas, nunca mais consegui comer. 

 

A receita é de Jaime Oliver, publicada no seu livro “Jamie’s Italy” e por isso, inspirada na cozinha italiana. É uma refeição magnífica.

 

Se gostaram, mãos à obra.

publicado por Maria às 17:32
10
Mai
14

 

 

 

 

É com todo o prazer que torno ao meu espaço há algum tempo abandonado, para partilhar convosco mais uma receita, com sucesso garantido. É mais uma participação no simpático grupo Dorie às Sextas.

Hesitei bastante pois, tenho de admitir que doces de banana não são, de todo, os meus favoritos. Mas, li e reli tantos "Mmmmm", em cada participação que entrava que achei que não deveria julgar por antecipação.

E cá está, um bolo muito bom, de fácil execução e que aconselho vivamente.

Segui a receita quase na íntegra, excepto na junção de leite de coco que substitui por iogurte. No final, com o bolo ainda quente, reguei-o com uma calda de rum com laranja. Excelente, creiam-me.

 

O que preparar:

 

2 2/3 chávenas de farinha

1 1/4 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de noz-moscada, ralada no momento
170 gramas (12 colheres de sopa) de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 chávena de açúcar amarelo ou açúcar mascavado
3/4 chávena de açúcar branco
2 ovos grandes, de preferência à temperatura ambiente
1 1/2 colheres de chá de extracto de baunilha
2 colheres de sopa de rum ou de Malibu
1 1/2 - 1 3/4 chávenas de bananas muito maduras, esmagadas (cerca de 4 bananas)
1/2 chávena de leite de coco não açucarado (pode usar-se normal, light ou, alternativamente, leite gordo, buttermilk, nata ácida ou iogurte natural)
1 chávena de coco ralado, de preferência tostado (ou igual quantidade de frutos secos, variedade húmida, como passas, alperces, arandos, mirtilios cerejas, ou combinação de coco e frutos secos)

 

Para a Calda de Rum ( opcional):

 

2 cups de água

2/3 de cup de açúcar

1 laranja

2 colheres de sopa de rum.

 

 

Como preparar:

 

Centrar um tabuleiro o forno e pré-aquecê-lo a 175ºC. Untar com manteiga duas formas circulares de 23 cm (5 cm de altura), polvilhar com farinha e sacudir o excesso. Colocar as formas sobre uma base para biscoitos.
Misturar a farinha, o bicarbonato, o sal e a noz-moscada.
Com uma batedeira de pé, de preferência com a pá (paddle attachment), ou com a batedeira manual numa taça grande, bater a manteiga até ficar cremosa. Adicionar os açúcares e bater em velocidade média durante uns minutos, acrescentando em seguida os ovos um a um e batendo bem entre cada adição. Juntar em seguida o rum e o extracto de baunilha. A massa ficará sedosa. Diminuindo a velocidade, acrescentar as bananas, o que fará com que a massa talhe (o que não tem problema, já que irá ficar bem com os restantes ingredientes). Ainda em baixa velocidade, acrescentar os ingredientes secos e os líquidos alternadamente: a mistura da farinha em 3 vezes e o leite de coco em 2 vezes, começando-se e acabando com os ingredientes secos. Misturar apenas até estar tudo incorporado. Com uma espátula de borracha, envolver gentilmente o coco. Dividir a massa uniformemente pelas duas formas. Levar ao forno durante 45 minutos ou até os bolos estarem num tom castanho-dourado profundo. Deverão começar a despegar-se do lado das formas e uma faca inserida no centro deverá sair seca. Transferir os bolos para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer durante cinco minutos, desenformar e inverter para outro tabuleiro até ficar à temperatura ambiente, com o lado direito virado para cima.

 

Preparação da calda:

 

Levar ao lume, num tachinho, a água, o açúcar e a laranja descascada e cortada em rodelas. Quando começar a ferver, contar 8 minutos. Juntar o rum e contar mais 1 minuto.

Regar o bolo, ainda quente e previamente picado com um garfo com esta calda.

 

Sugestões

 

A Dorie sugere várias alternativas, seguem algumas: cobertura de natas frescas batidas com baunilha, rum ou Malibu e coco tostado OU creme de chocolate OU ganache OU embeber o bolo em xarope de rum OU polvilhar com açúcar em pó ou chocolate em pó, acompanhando com natas batidas ou gelado OU usar o bolo para fazer um sunday.

 

Tradução da Susana Figueiredo.

 

Mãos à obra.

publicado por Maria às 18:12
10
Dez
13
Ja aqui dei a conhecer a minha preferencia por pastas, qualquer tipo de pasta. E sempre uma comida agradavel, facil de preparar e combina na perfeicao com tomate. Um prato de pasta com um bom molho de tomate e quanto basta para de activar as papilas gostativas.
Esta combinacao que vos trago hoje, fui busca-la a uma receita de um livro que o meu filho mais velho me ofereceu pelo aniversario. Apesar de nao ter muita empatia pelo Chef, e isto talvez porque a primeira e unica receita que experimentei, seguindo as suas indicacoes, resultou num completo desastre ( bife Wellington), nao deixo de reconhecer que esta que vos trago hoje e, simplesmente, deliciosa. O segredo do sucesso esta na cobertura de crumble ao qual acrescentei mais uns ingredientes porque, seguindo a maxima, quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto.
Ah, e o Chefe e o Gordon Ramsay.
O que preparar:
  1. 1 cebola rouxa pelada e finamente picada;
  2. 1 dente de alho pelado e esmagado;
  3. 1 a 2 colheres de sopa de molho ingles;
  4. 1 colher de sopa de Tabasco;
  5. 1/2 colher de sopa de flor de sal;
  6. 1 colher de sopa de acucar mascavado;
  7. 400g de tomate de boa qualidade partido em bocadinhos pequenos;
  8. 50ml de vodka ( senao nao seria bloody Mary);
  9. 400g de linguine.
Para o crumble:
pao atrasado, 1 colher de sopa de salsa, 1 casquinha de limao, 3 colheres de sopa de parmesao ralado, sal e pimenta preta. Algum azeite.
Como preparar:
Comecar por preparar o crumble.
Triturar todos os ingredientes indicados numa trituradora. Deitar numa frigideira 2 colheres de sopa de azeite e quando este estiver quente, deitar o preparado ralado. Deixar torrar um pouco, mexendo ocasionalmente, sem deixar queimar. Reservar.
Colocar numa frigideira mais 3 colheres de azeite juntamente com a cebola picada. Quando esta estiver dourada, deitar o dente de alho e deixar fritar mais 2 minutos. Junatar o molho ingles, o Tabasco, o acucar, sal e pimenta. Deitar o vodka  e subir a intensidade do lume para os vapores do alcool se evaporarem. Finalmente deitar os tomates picados e deixar cozinhar em lume brando cerca de 15 a 20 minutos, mexendo ocasionalmente para nao deixar pegar.
Entretanto cozer o linguine em agua fervente bem temperada com sal. Deixar cozer durante 12 minutos. Retirar do lume e escorrer bem.
Pode-se aproveitar um pouco de agua de cozedura da pasta para acrescentar ao molho de tomate se se verificar que este esta muito "enxuto".
Verter o molho de tomate por cima da massa e envolver bem em cima de lume muito baixo.
Servir em pratos individuais salpicado abundantemente com o crumble.
Maos a obra.

 

publicado por Maria às 20:25
06
Dez
13

 

Recordo-me muito bem quando me aventurei a fazer o meu primeiro cheesecake. Nao sei ao certo porque, mas demorei muito tempo a tomar a decisao,, pois sempre julguei que fosse muito mais dificil do que na realidade o e. Segui passo a passo uma receita do Chef Avillez e, claro, nao tinha como nao ser bem sucedida Como sou muito desastrada para a composicao final de doces. fiquei tao, mas tao vaidosa que durante dias e dias foi o meu assunto de eleicao.
Nao pude pois, deixar de sorrir, quando vi que a proposta para o desafio quinzenal do grupo das Dorie as Sextas recaia, precisamente, num cheesecake. Mas, este cheesecake e diferente, pois e de forno. E igualmente diferente, pois e de chocolate. E, sendo deliciosamente, delicioso ( e perdoem-me a redundancia, mas e mesmo assim que deve ser descrito), foi este cheesecake que serviu de bolo de aniversario dos 28 aniversario do primeiro milagre da minha vida.
So gostaria de fazer uma observacao. Na receita original e aconselhado a que o doce permaneca pelo menos 8 horas no frigorifico, podendo ir ate 3 dias. Porem, e por experiencia propria, aconselho vivamente a ser retirado do frio cerca de 15 minutos antes de ser saboreado para melhor se tirar partido dos sabores e ficar mais cremoso.
Na receita base que eu segui a risca,usei uma cobertura de creme fraiche e decorei com framboesas. Enriquece o doce visualmente e induz um agradavel contraste de sabores.
O que preparar:

 

Massa

1 1/2 chávenas de migalhas de bolachas (tipo graham cracker)

2 colheres de sopa de açúcar

1/4 de colher de chá de canela em pó

3 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida

 

Recheio

680g de queijo-creme à temperatura ambiente

1/2 chávena de açúcar

3 ovos grandes, à temperatura ambiente

1 colher de chá de extracto de baunilha

Uma pitada de sal

115g de chocolate semi-amargo, derretido, ligeiramente arrefecido

 

Como preparar:

 

 

Para a base: misturar todos os ingredientes com as pontas dos dedos; colocar numa forma de tarte com aproximadamente 22cm, pressionar com os dedos e levar ao congelador por 10 minutos. Levar ao forno, a 185º por 10 minutos, ou até dourar ligeiramente. Arrefecer numa grade; manter o forno ligado.

 

Num processador de alimentos, bater o queijo-creme juntamente com o açúcar, raspando a tigela 2 ou 3 vezes, durante 2 minutos. Adicionar os ovos, a baunilha e o sal: pulsar 4 vezes, raspar a tigela e pulsar mais 2 vezes. Despejar o chocolate, pulsar e raspar algumas vezes para misturar bem a massa.

 

Retirar a tigela do processador e bater no balcão para eliminar as bolhas da massa. Deitar na forma. 

 

Levar ao forno por 35 a 40 minutos, aproximadamente. A parte superior deve estar inchada e definida, mas o centro do bolo ainda estará um pouco instável. Transferir a forma para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer até à temperatura ambiente; levar ao frigorífico durante pelo menos 8 horas, ou até 3 dias.

 

publicado por Maria às 18:18
24
Nov
13
Foi a primeira vez que fiz e comi quinoa e fiquei completamente rendida. Alem do seu alto valor nutricional e de facil preparacao ( assemelha-se a preparacao do arroz) e muito versatil e saborosa. Os graos depois de cozidos apresentam-se em espirais pequeninas e ao mastigarmos sentimos minusculas bolinhas a rebentar na boca. E muito engracada essa sensacao.
Em Potugal julgo ser vendida somente em casas de dietetica, dai a minha dificuldade em encontra-la e nunca a ter feito. Aqui ha em abundancia, vendendo-se em qualquer supermercado.
Nesta minha primeira experiencia resolvi seguir a simplicidade de execucao, nao descorando o sabor. Partilho pois convosco e aconselho vivamente a experimentarem, caso tenham facilidade em encontrarem a venda.
O que preparar ( para 4 pessoas):
  1. 1,5 cup de quinoa e o dobro da quantidade em agua;
  2. 1 maca descascada e cortada em cubos;
  3. sumo de 1/2 laranja;
  4. 2 colheres de sopa de oleo vegetal;
  5. 100g de feijao verde cortado em pedacos pequenos;
  6. 100g de cogumelos fatiados;
  7. 100g de tomate seco;
  8. 1 colher de sopa de molho de soja;
  9. 1 colher de cha de maple syrup ou, alternativamente, de mel.

Como preparar:

Levar a quinoa e a agua ao lume num tacho e, quando comecar a ferver, contar 15 minutos. Retirar do lume e escorrer se ainda houver agua no tacho.Reservar.

Levar ao lume o oleo numa wok e juntar o feijao verde. Deixar frigir cerca de 5 minutos. Juntar os cogumelos, o tomate seco e a maca. Deixar frigir mais 3 minutos. Regar com o sumo da laranja e deixar fervilhar uns segundos. Retirar do lume e juntar a quinoa envolvento bem.

A parte, numa pequena tacinha, misturar o molho de sopa e o maple syrup. Deitar sobre a quinoa e mexer cuidadosamente ate o molho incorporar. Pode ser servido de seguida ou ser guardado no frigorifico para a marmita ou uma refeicao a ser comida mais tarde.

Maos a obra.

 

publicado por Maria às 11:03
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
Top blogs de receitas
blogs SAPO