Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
24
Abr
12

Foi ele que rapou avaramente a sopeira. E já espreitava à porta, esperando a portadora dos pitéus, a rija moça de peitos trementes, que enfim surgiu, mais esbraseada, abalando o sobrado – e posou sobre a mesa uma travessa a transbordar de arroz com favas. Que desconsolo! Jacinto, em Paris, sempre abominara favas!...Tentou, todavia uma garfada tímida – e de novo aqueles seus olhos, que o pessimismo enovoara, luziram, procurando os meus. Outra larga garfada, concentrada, com uma lentidão de frade que se regala. Depois um brado:

- Óptimo!... Ah, destas favas, sim! Oh, que fava! Que delícia!

E por esta santa gula louvava a serra, a arte perfeita das mulheres palreiras que em baixo remexiam as panelas, o Melchior que presidiu ao bródio…

-Deste arroz com fava, nem em Paris, Melchior amigo!” 

 

Queirós E., A Cidade e as Serras, pag 111.

 

O que preparar:

 

  1. 1 Kg de favas;
  2. 50g de margarina ou manteiga;
  3. 1 dente de alho;
  4. 1 cebola;
  5. 1 raminho de cheiros ( salsa, folha de loureiro e folha verde do alho francês);
  6. 150g de bacon;
  7. 150g de chouriço de carne;
  8. 1 dl de vinho branco;
  9. 0,5 l de água;
  10. 4 salsichas frescas;
  11. 400g de arroz;
  12. Sal e pimenta a gosto.

 

Como preparar:

 

Cortar o bacon em dados, o chouriço em rodelas e as salsichas em pedaços.  Descascar e limpar as favas. Picar a cebola e o alho.

 

Deitar numa caçarola a margarina, o bacon, o alho, a cebola e o remo de cheiros ( estes devem estar unidos com uma fita). Mexer ocasionalmente e, quando começar a lourar, deitar as rodelas de chouriço. Continuar a mexer sobre o lume, deixando alourar e juntar o vinho branco. Deixar suar um pouco, cerca de 1’, e juntar 0,5l de água. Deixar ferver durante 25’. Juntar as favas e as salsichas, juntar mais um pouco de água e deixar ferver mais 10 ou 15’, conforme as favas sejam mais ou menos tenras.

 

Escorrer o caldo dos sólidos, para ser medido pois deverá ser o dobro do arroz que se vai juntar. Assim, medir o caldo e juntar novamente às favas levando a ferver. Rectificar os temperos com sal e pimenta e juntar o arroz ( para cada 2 medidas de caldo, medir uma de arroz).  Deixar levantar fervura, mexer e retirar do lume.

 

Levar a caçarola tapada ao forno a 200ºC durante 15’. Ao fim deste tempo, esperar cerca de 2 a 3’ antes de destapar a caçarola.

 

Servir, decorado com tiras de pimentão vermelho. Delicioso;desdte arroz com fava, nem em Paris...

 

Mãos à obra. 

tags: ,
publicado por Maria às 08:00
19
Abr
12

Hoje trago um bolinho muito saboroso, com ingredientes que todos têm em casa, e muito fácil de fazer pois nem há necessidade de bater a massa.

 

Continuo, desta forma , a tentar agradar a quem mais gosto não descurando, é claro, todas as carinhosas amiguinhas seguidoras ou visitantes esporádicas.

 

O que preparar:

 

  1. 150g de arroz;
  2. 0,5 l de leite;
  3. 1 pitada de sal;
  4. 50g de manteiga;
  5. 2 maçãs médias;
  6. 100g de uvas passas;
  7. 150g de açúcar;
  8. ½ cálice de vinho do Porto;
  9. 1 colher de chá de canela;
  10. 1 colher de sopa de mal;
  11. 4 ovos;
  12. Manteiga e farinha para untar e polvilhar a forma.

 

Como preparar:

 

Ferver o arroz em bastante água, temperada com sal, durante 5’, escorrendo-o depois. Acabar de cozer no 0,5 l de leite, com a manteiga, fervendo lentamente até que o arroz tenha absorvido o leite todo. Retirar do lume e juntar as maçãs descascadas e partidas em pedacinhos pequenos, bem como as uvas passas previamente hidratadas ( colocadas de molho em água ou num outro líquido a gosto, até estarem inchadas ou seja, hidratadas).

 

Juntar também o açúcar, o vinho do Porto, a canela e o mel. Mexer bem e juntar por fim os ovos, previamente batidos, ligando tudo muito bem.

 

Untar uma forma de bolos ( ou se não houver forma, um tacho), polvilhar de farinha e encher com o preparado. Levar ao forno a 180ºC durante 40’.

 

Retirar do forno, deixar arrefecer na forma e, após isso, desenformar.

 

Pincelar o bolo com um pouco de mal para ficar brilhante.

 

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
12
Abr
12

O arroz de pato é um prato sobejamente conhecido e apreciado. Apesar da receita estar muito vulgarizada, não pude deixar de a trazer pois é muito apreciada cá em casa. Resulta numa óptima refeição e melhora muito quando acompanhada com um copo de um bom vinho tinto.

 

O que preparar:

 

  1. 1 pato;
  2. 1 cebola + ½ cebola;
  3. 1 dente de alho;
  4. 0,5 dl de azeite;
  5. 2 folhas de loureiro;
  6. 2 cravinhos;
  7. 5 grãos de pimenta preta;
  8. 3 chávenas de chá de arroz agulha;
  9. 1 chouriço de carne de boa qualidade.

 

Como preparar:

 

Limpar bem o pato e tirar-lhe todas as gorduras. Levar ao lume uma panela com bastante água e, quando começar a ferver, deitar o pato, juntamente com os grãos de pimenta, 1 folha de loureiro, o cravinho e meia cebola com casca. Temperar com sal. Se for feito na panela de pressão, a cozedura demora cerca de 30’. Caso contrário, demora cerca de 1,30h e poderá ter de se acrescentar água ao caldo, conforme este for reduzindo. A meio da cozedura, juntar metade do chouriço de carne.

 

Quando estiver cozido, retirar do caldo, reservando-o. Deixar arrefecer o pato e desfiá-lo, descartando a pele. Partir o chouriço cozido, em pedacinhos.

 

Retirar do caldo a película de gordura que se forma à superfície e reservar.

 

Levar a cebola picada ao lume juntamente com o azeite, o alho, a folha de loureiro. Quando a cebola começar a caramelizar, juntar o arroz e ir mexendo para não pegar. Quando começar a ficar com os bagos esbranquiçados, juntar o caldo onde cozeu o pato, devidamente coado num passador, na proporção do dobro da quantidade de chávenas do arroz, mais uma, isto é, se foram 3 chávenas de arroz, deverão ser 7 chávenas de caldo. Se este não for suficiente, completar com água. Deixar o arroz levantar fervura, mexer e deixar cozer 7’. Num tabuleiro de ir ao forno, deitar metade da quantidade de arroz, espalhar por cima o pato desfiado e os pedaços de chouriço cozido e cobrir com o restante arroz.

Enfeitar com a outra metade de chouriço cru, que entretanto se partiu às rodelas. Verter por cima a gordura que se havia tirado da superfície  do caldo. Levar ao forno a 200ºC cerca de 20’, até o arroz ficar lourinho.

 

Mãos à obra. 

 

publicado por Maria às 08:00
07
Abr
12

Nunca tive muito jeito para copiar, principalmente quando era por cábulas. Ficava sempre com a sensação que o professor ou vigilante fixava os olhos em mim, quando eu tentava consultar as cábulas. Era horrível. Perdia imenso tempo à procura dos apontamentos que pretendia e estava mais tempo a controlar o olhar do professor  do que as cábulas. Acabava sempre por desistir e fazer com base no que havia estudado para o teste ou exame.

 

Porém, aqui na blogosfera posso copiar sem remorsos nem restrições, desde que atribua os respectivos créditos.

 

Foi o que fiz com esta receita da minha amiguinha Ginja pois tinha a certeza que o resultado iria ser excelente sabendo eu, de antemão, as suas qualidades culinárias. Constatei que estava certa. O bolo é delicioso.

O que preparar:

 

  1. 2 ovos;
  2. 150 ml de leite;
  3. 1 colher de café de sal;
  4. Raspa da casca de 1 limão;
  5. 200g de farinha de arroz;
  6. 150g de farinha de trigo;
  7. 75g de manteiga;
  8. 2 colheres de chá de fermento;
  9. Bastante açúcar para polvilhar.

 

Como preparar:

 

Untar formas individuais com manteiga e farinha ou, caso sejam de silicone, com um pouco de óleo.

 

Pré aquecer o forno a 180ºC.

 

Derreter a manteiga e aguardar que volte à temperatura ambiente.

 

Bater os ovos com o açúcar até ficar um creme fofo e esbranquiçado. Juntar a manteiga derretida, a raspa de limão, o sal e o leite à temperatura ambiente. Quando a massa estiver uniforme, juntar a farinha e o fermento, mexendo até ficar com a massa homogénea.

 

Verter a massa em cada forminha até ¾ de capacidade, polvilhar, generosamente, cada bolinho com açúcar e levar ao forno durante 15 a 20’.

 

Desenformar e deixar arrefecer numa grelha.

 

Fiz algumas modificações à receita da Ginja, nomeadamente no que diz respeito à farinha pois adicionei farinha de arroz, à quantidade de fermento, pois adicionei, por engano, 2 colheres em vez de uma e quanto ao formato pois fiz em formas individuais.

 

Ficaram deliciosos e mesmo com aquela crosta açucarada que tanto caracteriza os bolos de arroz das pastelarias.

 

Obrigada pela partilha, Ginja.

 

Mãos à obra. 

 

tags: ,
publicado por Maria às 08:00
03
Abr
12

Estas almôndegas recheadas, apesar de serem um pouco trabalhosas resultam num prato muito agradável. Podem ser preparadas com antecedência congelando-as depois de panadas. São deliciosas.

 

O que preparar:

 

  1. 250g de arroz arbóreo que é o que se usa para fazer risotto;
  2. 1l de caldo de galinha (poderá ser feito com a dissolução de um cubo em 1 l de água);
  3. 1 cebola;
  4. 0,5 dl de azeite;
  5. 1 dl de vinho branco;
  6. Sal e pimenta a gosto;
  7. 2 ovos;
  8. 100g de queijo parmesão ralado;
  9. 250g de carne picada;
  10. 1 colher de mostarda;
  11. 2 dentes de alho;
  12. 1 tomate firme ;
  13. 1 cebola;
  14. 1 cenoura pequena;
  15. 50g de ervilhas;
  16. 100g de queijo mozzarella fresco;
  17. Sal e pimenta a gosto.

 

Como preparar:

 

Começar por preparar o risotto. Picar uma cebola e levar a alourar no azeite. Temperar de sal e pimenta.Deitar o arroz e deixar fritar. Quando as pontas dos bagos de arroz começarem a ficar mais claras, está pronto para o passo seguinte. Deitar o vinho branco e deixar o arroz absorvê-lo, mexendo sempre. Entretanto, ter ao lado da caçarola onde se está a preparar o risotto, uma panela com o caldo de galinha em lume brando para estar sempre fervente. A partir daqui é uma questão de paciência. Ir juntando ao arroz 2 conchas de caldo e deixar absorver completamente. Ir repetindo a operação, não deixando de mexer, até o arroz estar bem cozido, cremoso, mas sem estar a desfazer-se. Quando estiver pronto, reservar.

 

Nesta altura, deve-se colocar numa taça a carne picada e temperá-la de sal e pimenta. Juntar uma cebola picada, a cenoura cortada em cubos pequeninos, a colher de mostarda, os dentes de alho ralados. Mexes bem com as mãos até ficar uniforme. Juntar as ervilhas e o queijo mozzarela partido em cubos pequenos. Misturar cuidadosamente com as mão e reservar.

 

Quando o arroz estiver esfriado, misturar 2 ovos e o queijo parmesão ralado. Mexer bem até o arroz ficar pegajoso.

 

Preparar 1 taça com farinha, outra com ovo batido temperado de sal e pimenta e misturado com 2 colheres de sopa de parmesão e a terceira taça com pão ralado ( eu ralei pão com uma casca de limão, 50g de queijo parmesão e salsa).

 

Colocar uma porção de arroz na mão esquerda com esta em concha. Fazer uma concavidade e nesta colocar uma colher de sobremesa de carne picada e temperada. Fazer o possível por colocar em cada porção de carne 1 ou 2 ervilhas e pelo menos um quadrado de mozzarella. “Fechar a bola de molde a que a carne fique envolvida no arroz. As bolinhas deverão ficar um pouco maiores que uma bola de golfe.

 

Passar as bolas por farinha, ovo e pão ralado e ir colocando numa grade. Quando esta operação estiver concluída, podem optar por fritar as almôndegas ou levá-las ao forno quente na grande onde estão depositadas para alourarem por igual. Eu optei por colocá-las no forno pois é mais saudável .

 

Ficam excelente acompanhadas com uma boa salada. São também óptimas para um picnik.

 

Mãos à obra.

 

tags: ,
publicado por Maria às 08:00
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fritas sã...
 No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fri...
Minha avó, que cresceu em Mogadouro, muitas vezes ...
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
Top blogs de receitas
blogs SAPO