Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
14
Jun
14

Lembro-me bem quando vi pela primeira vez uma referência e esta senhora. Foi num blog que seguia, ainda não tinha criado este, e quando fui espreitar a sua forma simples e rápida de nos apresentar receitas deliciosas, fiquei rendida. Desde aí, sigo-a assiduamente quer nos seus livros quer nas revistas que publica. Bem sei que esta que trago hoje não é das mais saudáveis. Porém, de vez em quando podemos dar um pontapé na dieta para poder saborear uma refeição com prazer. Faz-se de muitas formas a Carbonara e há milhentas versões. Esta é simples, não ficamos com "ovos mexidos" misturados na pasta. Ficamos, isso sim, com um creme maravilhoso que transforma um prato tão simples numa comida gourmet.

Apresento aqui a minha participação quinzenal no desafio Quinze dias com cuja mentora é a Susana. Quer-me parecer que esta participação não ficará solteira pois a Chef escolhida para esta quinzena é, nada mais, nada menos que a Donna Hay, uma das minhas favoritas e por quem me sigo e apoio pelo menos uma vez por semana, para preparar refeições leves, frescas e deliciosas.

A quantidade de ingredientes apresentado contempla 2 doses.

O que preparar:

  • 200g de pasta fresca;
  • 200ml de natas;
  • 1 chávenas de queijo parmesão ralado no momento;
  • 2 gemas de ovo;
  • 4 fatias de bom presunto;
  • queijo parmesão a gosto e ralado na altura de servir;
  • sal e pimenta e gosto.

Como preparar:

Cozer a pasta em bastante água fervente temperada com sal. A pasta fresca não leva mais que 4 a 5 minutos a atingir o ponto ideal de cozedura. Escorrer bem retirando toda a água onde foi cozinhada. Temperar com sal, se faltar, e com pimenta moída. Juntar as natas e as gemas de ovo e a chávena de quijo parmesão ralado. Levar ao lume lento, mexendo sempre e até sentir o creme a envolver toda a pasta. Retirar do lume, empratar com a ajuda de uma pinça de cozinha ou mesmo um garfo e colher, enrolando sobre o prato de servir formando um montículo.

Esfarripar as fatias de presunto e dispor por cima da pasta. Servir polvilhado de queijo ralado na altura. Delicioso.

Mãos à obra.

publicado por Maria às 15:50
12
Jun
14

Foi, é,  e será sempre a refeição do “desenrasca” . Desculpem-me a grosseira expressão, mas não há outra que mais se adeque aos clássicos ovinhos mexidos. Não conheço ninguém que não saiba, pelo menos, mexer uns ovos para uma refeição sem tempo, para um pequeno almoço reforçado, para por no pão para levar para a escola ou trabalho.

Porém, fazer uns bons ovos mexidos, fofinhos, húmidos e saborosos tem os seus pequenos truques. O Chef Henrique Sá Pessoa  sempre na sua imensa simplicidade sempre com o seu toque pessoal, ensina-nos a fazer uns ovos mexidos dignos de mesa de rei. Esses ensinamentos reproduzo-os de seguida.

E é com esta simples mas tão saborosa refeição que participo, esta quinzena ,no “Quinze Dias Com…”. O Chef a mentorear este período é, como já devem ter percebido, Hennrique Sá Pessoa.

O que preparar:
2ovos por pessoa;
1 colher de chá de manteiga;
1 colher de chá de azeite;
1 colher de chá de natas;
sal e pimenta a gosto.
Como preparar:
Colocar numa pequena frigideira metade da quantidade de manteiga e a colher de chá de azeite. Numa tacinha, bater ligeiramente os ovos com um garfo ( basta misturar, sem bater muito). Levar a frigideira ao lume e, sem deixar aquecer muito, pois vamos cozinhar ovos mexidos e não uma omelete, deitar os ovos. Ir mexendo sempre em lume brando até solidificarem mas sem ficarem demasiado secos. Deitar por fim a restante manteiga e a colher de natas ( opcional). Mexer e, somente nessa altura, temperar com sal e um pouco de pimenta.
Eis que temos uns ovos mexidos fofos e deliciosos.
Portanto, principais conselhos a lembrar: Não deixar aquecer a frigideira nem as gorduras ( manteiga e azeite) antes de juntarmos os ovos; Ir mexendo sempre enquanto cozinham; Juntar o sal somente depois dos ovos cozinhados pois, se adicionamos antes, estes desidratam e ficam muito secos.
Mãos à obra.

publicado por Maria às 09:07
06
Jun
14
Parece que agora o meu blog anda movido a desafios. Tentarei daqui para a frente ser mais assídua nas publicações pois tenhos algumas coisas simpáticas para partilhar convosco.
Porém, como já é novamente sexta feira, e passados que foram quinze dias do último desafio do grupo Dorie às Sextas em que, apesar de ter feito a receita sugerida, não a publiquei aqui, venho partilhar um doce maravilhoso e que arrancou rasgados elogios cá por casa. Foi pensado para bolo de aniversário do meu filho, e por ser diferente dos bolos comuns de aniversário, pois não é bolo, surpreendeu pela positiva os convivas.
Parece muito complicado para quem lê a receita transversalmente dando vontade de po-la de lado; eu sei e foi isso que me aconteceu, também.
Mas dediquem-se a ler atentamente e verão que é muito,muito fácil. O único senão é o tempo de espera enquanto gela cada camada mas não é preciso ficarmos sentadas à espera. Simplesmente, de vez em quando, vamos "entornar" uma camada e voltar a colocar no congelador. Façam, pois garanto-vos que não se arrependerão.
A receita original e traduzida pela Susana foi copiada na íntegra. Naõ fiz alterações, excepto em não ter misturado as framboesas na totalidade do gelado, ie, usei metade da quantidade de framboesas recomendadas em metade do gelado de baunilha. A outra metade do gelado usei-o simples, somente com sabor a baunilha. Daí aparecer na foto uma camada de gelado cor de framboesa e a outra camada creme, cor de gelado de baunilha. Isto para além das camadas de chocolate, claro.
Por precaução, forrei o fundo amovível da forma com película aderente, para desenformar mais facilmente.
O que preparar:

200 g. de manteiga sem sal, cortada em pedaços
255 g. de chocolate amargo, cortado grosseiramente
1/2 chávena de açúcar
8 ovos grandes
285 gramas de framboesas congeladas em xarope, descongeladas - usei metade que misturei em metade da quantidade de gelado.
1 colher de sopa de licor de framboesa (opcional)- não usei
1 litro de gelado de baunilha
560 gramas de framboesas frescas, para decorar (opcional)

 

 

Como preparar:

 

Untar com óleo (ou óleo em spray) uma forma redonda, de mola, com entre 20 e 22 cm de diâmetro. Em banho-maria (em cima de um tacho com água a fervinhar), numa tigela resistente ao calor, derreter lentamente o chocolate e a manteiga, mexendo ocasionalmente. Ter cuidado para não aquecer demasiado a mistura, de modo a que o chocolate e a manteiga não se separem. Transferir a taça para o balcão, misturar o açúcar e deixar arrefecer durante cinco minutos. Incorporar os ovos na mistura de chocolate, um de cada vez, mexendo bem entre cada adição. Bater com a tigela no balcão de modo a tirar as bolhas da ganache e deitar 1/3 da mistura na forma. Congelar durante 30 minutos. Cobrir a restante ganache com película e manter no balcão.

Quando a primeira camada de ganache estiver sólida, começar a fazer o gelado. Triturar as framboesas até ficarem em puré (num processador de alimentos), juntar o licor (se for o caso) e pulsar até estar incorporado. Adicionar aos poucos o gelado, pulsando até incorporar o puré mas evitando fazê-lo durante demasiado tempo para não derreter o gelado. Deitar metade do gelado sobre a ganache, levando a forma novamente ao congelador durante pelo menos quinze minutos. Colocar o restante gelado numa tigela, cobrir com película e levar ao congelador. Não lavar já o processador, poderá ser necessário para amolecer o gelado, um pouco mais à frente.

Quando a camada de gelado tiver solidificado, cobrir com metade da restante ganache, levando a forma ao congelador por mais 30 minutos. Para a próxima camada de gelado, poderá ser necessário batê-lo com uma colher de pau ou, caso esteja muito sólido, levá-lo ao processador de alimentos, pulsando durante uns segundos. Deitar a camada seguinte de gelado sobre a ganache, levando ao congelador durante pelo menos quinze minutos. Terminar com a restante ganache sobre o gelado. Abanar a forma e alisar, se necessário. cobrir com a película, tendo o cuidado de não a deixar tocar no chocolate, levando ao congelador durante pelo menos seis horas.

Cerca de 30 minutos - ou até três horas - antes de servir, desenformar o bolo (aquecer os lados da forma com um secador de cabelo ou embrulhar a forma num pano de cozinha, molhado com água quente durante 10 segundos). Após desenformar, levar ao congelador durante mais 30 minutos para solidificar os lados. Imediatamente antes de servir, decorar o topo do bolo com as framboesas (opcional). Aquecer rapidamente o topo do chocolate com o secador de modo a que as framboesas adiram ao serem colocadas ou passar com uma faca aquecida em água quente na superfície do bolo. Servir.

 

Algumas sugestões alternativas: servir com natas batidas, molho de chocolate ou coulis de framboesa. Usar outros sabores de gelado, por exemplo, baunilha, baunilha com pepitas de chocolate, baunilha com fudge, café, morango (decorando com morangos frescos)... ou qualquer outra combinação que gostem!!!
Mãos à obra

publicado por Maria às 08:00
18
Mai
14

 

Sob uma chuva miúda, impertinente, mas que enchia a paisagem de uma inusitada e grave beleza, aveludando o verde das folhas e envernizando os troncos cinzentos dos bosques, aterrei na Escócia, deixando para trás o mundo que sempre foi o meu, arrastada pela saudade.

Saudade também deixei para trás, a saudade que durante alguns meses me sufocou sem roubar o ar, que me feriu sem fazer sangrar, que me esmagou sem me fazer doer.

E, ao longo dos primeiros meses, nenhuma força foi suficientemente poderosa para me descolar dos sentidos essa crosta sob a qual palpitava o que de inefável, de subtil, de apenas sugerido, se inoculou em mim como um veneno voluptuosamente activo.

Hoje, ultrapassado o "período experimental", começo a perceber a mensagem que uma amiga que também cá vive, me transmitiu aquando da minha vinda:

- O difícil é o primeiro ano. Depois, começamos a sentir esta terra como nossa e nunca mais queremos voltar”.

Começo a compreendê-la porque eu também me começo a deixar prender pelo irresistível sortilégio que se está a apoderar de mim e que se desprende destas verdejantes paisagens, destes lagos sem fim, deste povo tão organizado e que tão bem acolheu a mim e aos meus.

Começo a sentir-me em casa e com muita vontade de exclamar:

É bom viver na Escócia.

E depois desta minha já longa dissertação inicio assim  a minha participação no projecto da Susana, uma menina que muito prezo, que tem dois  fifis lindíssimos sendo que do mais novo, me sinto uma espécie de madrinha virtual pois assisti, praticamente, à sua gestação e nascimento. Beijinho ao Tiaguinho.

A essência do projecto é, em cada 15 dias, fazermos e publicarmos as receitas do Chef eleito nessa quinzena.

Para a estreia e durante quinze dias o eleito foi: Jamie Oliver.

 O que preparar:

8 salsichas de tamanho médio, de boa qualidade, de preferência, salsichas italianas;

500g de brócolos ou espinafres ou nabiças;

Sumo de metade de um limão;

Azeite, sal e pimenta a gosto;

2 a 3 raminho de tomilho fresco.

 

Para o molho de tomate:

Azeite a gosto;

1 pequena cebola rouxa finamente picada;

3 dentes de alho finamente picados;

1 pequeno pau de canela.

1 a 2 dentes de malagueta seca, finamente picados;

1 colher de sopa de vinagre de vinho;

2 latas de 400g de tomate pelado;

 

Para as lentilhas:

400g de lentilhas verdes;

2 dentes de alho pelados;

1 folha de louro;

1 raminho de salsa picada;

1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto;

1 raminho de tomilho fresto. 

 

Como preparar:

Devemos começar por preparar o molho de tomate.  Deitar um fio de azeite num tacho, juntar a cebola e alho, o pau de canela e a malagueta. Deixar fritar durante cerca de 10 minutos até a cebola estar mole e transparente. Aumentar a intensidade do lume e juntar o vinagre ( irá libertar-se bastante vapor ácido, mas é uma reacção normal). Quando o vapor se libertar, tornar a baixar a intensidade do lume e juntar o tomate pelado e cortado em pedaços pequenos. Deixar cozinha e apurar durante meia hora, lentamente e em lume muito baixo.

Entretanto, passemos às lentilhas e restantes intervenientes:

Ligar o forno a 200ºC.

Colocar as lentilhas dentro de um pote, cobri-las com água e juntar 2 dentes de alho, a folha de louro e alguns pés de salsa. Levar ao lume a ferver até aquelas estarem macias ( cerca de 20 minutos).

Colocar as salsichas num assador e levá-las ao forno pré aquecido durante cerca de 20 minutos para tostarem.

Colocar em água fervente os brócolos ou espinafres ou nabiças, deixar ferver poucos minutos e retirar do lume escorrendo a água. Colocar numa taça temperando com azeite e o sumo do meio limão. Reservar.

Uma vez as lentilhas cozinhadas, retirar a folha de louro, a salsa e escolher quase a totalidade da água de cozedura. Esmagar com as costas de uma colher os dentes de alho, deitar nas lentilhas e temperar com 4 colheres de sopa de azeite e 1 ou 2 colher de sopa de vinagre. Juntar a salsa picada e envolver tudo muito bem.

Empratar agora, por camadas:

Colocar as lentilhas no fundo do prato ou taça de servir, cobri-las com o molho de tomate e, colocar as salsichas no topo. A receita indica que as verduras sejam servidas como acompanhamento mas eu, inicialmente ,não entendi e juntei às lentilhas os espinafres que havia preparado e reservado. Gostei  imenso e de uma próxima vez, fá-lo-ei da mesmo forma.

Finalmente, e como poderão constactar pela foto, substituí as salsichas por peitos de frango partidos em cubos e preparados da mesma forma. Acredito que as salsichas dêm um toque ainda mais especial a este prato mas, desde a data em que assisti a um programa conduzido precisamente por Jamie Oliver onde era explicado, passo a passo, a forma e os ingredientes constantes no enchimentos das salsichas, nunca mais consegui comer. 

 

A receita é de Jaime Oliver, publicada no seu livro “Jamie’s Italy” e por isso, inspirada na cozinha italiana. É uma refeição magnífica.

 

Se gostaram, mãos à obra.

publicado por Maria às 17:32
06
Dez
13

 

Recordo-me muito bem quando me aventurei a fazer o meu primeiro cheesecake. Nao sei ao certo porque, mas demorei muito tempo a tomar a decisao,, pois sempre julguei que fosse muito mais dificil do que na realidade o e. Segui passo a passo uma receita do Chef Avillez e, claro, nao tinha como nao ser bem sucedida Como sou muito desastrada para a composicao final de doces. fiquei tao, mas tao vaidosa que durante dias e dias foi o meu assunto de eleicao.
Nao pude pois, deixar de sorrir, quando vi que a proposta para o desafio quinzenal do grupo das Dorie as Sextas recaia, precisamente, num cheesecake. Mas, este cheesecake e diferente, pois e de forno. E igualmente diferente, pois e de chocolate. E, sendo deliciosamente, delicioso ( e perdoem-me a redundancia, mas e mesmo assim que deve ser descrito), foi este cheesecake que serviu de bolo de aniversario dos 28 aniversario do primeiro milagre da minha vida.
So gostaria de fazer uma observacao. Na receita original e aconselhado a que o doce permaneca pelo menos 8 horas no frigorifico, podendo ir ate 3 dias. Porem, e por experiencia propria, aconselho vivamente a ser retirado do frio cerca de 15 minutos antes de ser saboreado para melhor se tirar partido dos sabores e ficar mais cremoso.
Na receita base que eu segui a risca,usei uma cobertura de creme fraiche e decorei com framboesas. Enriquece o doce visualmente e induz um agradavel contraste de sabores.
O que preparar:

 

Massa

1 1/2 chávenas de migalhas de bolachas (tipo graham cracker)

2 colheres de sopa de açúcar

1/4 de colher de chá de canela em pó

3 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida

 

Recheio

680g de queijo-creme à temperatura ambiente

1/2 chávena de açúcar

3 ovos grandes, à temperatura ambiente

1 colher de chá de extracto de baunilha

Uma pitada de sal

115g de chocolate semi-amargo, derretido, ligeiramente arrefecido

 

Como preparar:

 

 

Para a base: misturar todos os ingredientes com as pontas dos dedos; colocar numa forma de tarte com aproximadamente 22cm, pressionar com os dedos e levar ao congelador por 10 minutos. Levar ao forno, a 185º por 10 minutos, ou até dourar ligeiramente. Arrefecer numa grade; manter o forno ligado.

 

Num processador de alimentos, bater o queijo-creme juntamente com o açúcar, raspando a tigela 2 ou 3 vezes, durante 2 minutos. Adicionar os ovos, a baunilha e o sal: pulsar 4 vezes, raspar a tigela e pulsar mais 2 vezes. Despejar o chocolate, pulsar e raspar algumas vezes para misturar bem a massa.

 

Retirar a tigela do processador e bater no balcão para eliminar as bolhas da massa. Deitar na forma. 

 

Levar ao forno por 35 a 40 minutos, aproximadamente. A parte superior deve estar inchada e definida, mas o centro do bolo ainda estará um pouco instável. Transferir a forma para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer até à temperatura ambiente; levar ao frigorífico durante pelo menos 8 horas, ou até 3 dias.

 

publicado por Maria às 18:18
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
De facto cavala e sarda não são o mesmo peixe, as ...
Top blogs de receitas
blogs SAPO