Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
06
Dez
13

 

Recordo-me muito bem quando me aventurei a fazer o meu primeiro cheesecake. Nao sei ao certo porque, mas demorei muito tempo a tomar a decisao,, pois sempre julguei que fosse muito mais dificil do que na realidade o e. Segui passo a passo uma receita do Chef Avillez e, claro, nao tinha como nao ser bem sucedida Como sou muito desastrada para a composicao final de doces. fiquei tao, mas tao vaidosa que durante dias e dias foi o meu assunto de eleicao.
Nao pude pois, deixar de sorrir, quando vi que a proposta para o desafio quinzenal do grupo das Dorie as Sextas recaia, precisamente, num cheesecake. Mas, este cheesecake e diferente, pois e de forno. E igualmente diferente, pois e de chocolate. E, sendo deliciosamente, delicioso ( e perdoem-me a redundancia, mas e mesmo assim que deve ser descrito), foi este cheesecake que serviu de bolo de aniversario dos 28 aniversario do primeiro milagre da minha vida.
So gostaria de fazer uma observacao. Na receita original e aconselhado a que o doce permaneca pelo menos 8 horas no frigorifico, podendo ir ate 3 dias. Porem, e por experiencia propria, aconselho vivamente a ser retirado do frio cerca de 15 minutos antes de ser saboreado para melhor se tirar partido dos sabores e ficar mais cremoso.
Na receita base que eu segui a risca,usei uma cobertura de creme fraiche e decorei com framboesas. Enriquece o doce visualmente e induz um agradavel contraste de sabores.
O que preparar:

 

Massa

1 1/2 chávenas de migalhas de bolachas (tipo graham cracker)

2 colheres de sopa de açúcar

1/4 de colher de chá de canela em pó

3 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida

 

Recheio

680g de queijo-creme à temperatura ambiente

1/2 chávena de açúcar

3 ovos grandes, à temperatura ambiente

1 colher de chá de extracto de baunilha

Uma pitada de sal

115g de chocolate semi-amargo, derretido, ligeiramente arrefecido

 

Como preparar:

 

 

Para a base: misturar todos os ingredientes com as pontas dos dedos; colocar numa forma de tarte com aproximadamente 22cm, pressionar com os dedos e levar ao congelador por 10 minutos. Levar ao forno, a 185º por 10 minutos, ou até dourar ligeiramente. Arrefecer numa grade; manter o forno ligado.

 

Num processador de alimentos, bater o queijo-creme juntamente com o açúcar, raspando a tigela 2 ou 3 vezes, durante 2 minutos. Adicionar os ovos, a baunilha e o sal: pulsar 4 vezes, raspar a tigela e pulsar mais 2 vezes. Despejar o chocolate, pulsar e raspar algumas vezes para misturar bem a massa.

 

Retirar a tigela do processador e bater no balcão para eliminar as bolhas da massa. Deitar na forma. 

 

Levar ao forno por 35 a 40 minutos, aproximadamente. A parte superior deve estar inchada e definida, mas o centro do bolo ainda estará um pouco instável. Transferir a forma para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer até à temperatura ambiente; levar ao frigorífico durante pelo menos 8 horas, ou até 3 dias.

 

publicado por Maria às 18:18
01
Nov
13

  

 


 

O ruibarbo é semelhante ao aipo, com talo longo e folhas finas no final. O talo, que no caso do ruibarbo é rosa, é a principal parte do alimento. 
Em alguns países, como no Reino Unido, o ruibarbo é consumido como fruta, e não como vegetal. A maioria das receitas feitas com ruibarbo sao doces. Apesar do gosto desagradavel quando cru, resulta num doce maravilhoso quando cozinhado. 
Com ruibarbo faz-se, entre muitas outras coisas, uma sobremesa tipicamente britânica, o crumble, que é uma tarte de duas camadas. A parte de baixo é composta por frutas (morangos, cerejas, maçã ou ruibarbo, por exemplo); Cobre-se, com massa esfarelada de manteiga, açúcar demerara e farinha e leva-se ao forno para dourar. O "crumble de ruibarbo" é excelente. A camada inferior da fruta fica com um sabor agridoce e a cobertura e crocante fundindo-se na boca ambas as texturas, na perfeicao. E excelente  quando acompanhada com sorvete de baunilha, creme custard ou iogurte de ruibarbo e frutos vermelhos. 
O tema do Dia Um... Na Cozinha pedia-nos um crumble com frutas da epoca. Como por esta terra que me acolheu o ruibarbo e considerado um fruto, e estamos no tempo dele, aproveitei a deixa e fiz esta sobremesa tao tipicamente britanica com um fruto que muito por aqui abunda. Espero que gostem.
O que preparar:
  1. 400g de talos de ruibarbo;
  2. sumo de 1/2 limao;
  3. 3 colheres bem cheias de acucar branco;
  4.  200g de iogurte natural;
  5. 150g de acucar demerara;
  6. 200g de farinha de trigo;
  7. 50g de aveia em flocos;
  8. 100g de manteiga sem sal.
Como preparar:
Partem-se os talos de ruibarbo em pedacos com cerca de 2cm. Colocam-se num tabuleiro de forno juntamente com o sumo de limao, as 3 colheres de acucar branco e o iogurte natural. Mistura-se bem ( pode ser com as maos) e leva-se ao forno a 180 C ate a fruta comecar a desfazer-se e os ingredientes ficarem fundidos, o que leva cerca de 30 minutos. Retirar o forno e deixar arrefecer um pouco.
Entretanto, colocar numa taca a farinha, a aveia, o acucar e a manteiga gelada e partida em pedacinhos pequenos. Com as maos fechadas e numa posicao em que os polegares fiquem virados para cima, ir desfazendo a manteiga e misturando com os restantes ingredientes, friccionando os polegares contra os indicadores, estando estes fletidos. Portanto, apanha-se os ingredientes dentro das maos e deixa-se sair entre os polegares e indicadores fazendo frixao entre estes dois. Fazer esta accao e ate se obter uma especie de massa areada e grosseira.
Colocar esta "areia" por cima da fruta em compota e levar ao forno mais 30 minutos ate ficar com um aspecto dourado.
Servir morno e acompanhado com iogurte de ruibarbo, por exemplo.
Maos a obra

 

 

publicado por Maria às 09:00
01
Set
13
E mais um mês volvido e mais uma publicação de receita do desafio "Dia Um... Na cozinha". À semelhança dos desafios anteriores, é-nos proposto um tema no dia 15 de cada mês e com base nesse tema temos de confeccionar livremente uma receita. Desta feita foi-nos proposto a confecção de uma galette de frutas, e aqui estou com a minha. A diferença entre este mês e os anteriores prende-se com o facto da comunidade participante se ter alargado imenso, pois foi fundado um grupo que cresceu, num só mês, explosivamente. Quem ainda não pertence à comunidade e tenha agradado o desafio, basta somente pedir adesão aqui. Será sempre bem vindo e recebido de braços abertos pelas simpáticas administradoras. Estamos à sua espera. Entramos?
O que preparar:
Para a massa: 
  1. 1 e 1/2 chávenas de farinha
  2. 2 colheres de sopa de açúcar
  3. 3/4 colher de chá de sal
  4. 150g de manteiga sem sal, fria, cortada em cubos pequenos
  5. 2  e 1/2 colheres de sopa de gordura vegetal fria, cortada em 2 pedaços
  6. 1/4 chávena de água gelada
usei esta receita da Dorie Greenspan para a massa pois gostei imenso.


Para o recheio:

  1. Frutas da época, de preferência "carnudas" e sumarentas. Usei Ameixas amarelas, nectarinas e figos. Confesso que os figos não trouxeram mais valia uma vez que secam com o calor da cozedura. 
  2. Compota, de preferência caseira. Usei compota de ameixa.
  3. Bolachas Maria triturada ( usei 5).


Para o creme:

  1.  3 colheres sopa de manteiga sem sal, derretida e fria
  2.  1/3 medida de açúcar
  3.  1 ovo grande
  4.  1/4 colher chá de extracto de baunilha


 

Como preparar:
A massa:

Colocar a farinha, o açúcar e o sal num processador de alimentos com uma lâmina de metal e pulsar apenas para combinar os ingredientes. Adicionar a manteiga e a gordura; pulsar até que os pedaços estejam misturados com a farinha. Não mexer demais - nesta altura devemos ter pedaços irregulares do tamanho de ervilhas. Pulsar de forma intermitente, acrescentando, gradualmente, 3 colheres de sopa de água gelada para a massa. Continuar a adicionar a água, um pouco de cada vez, pulsando, até que a massa fique uniforme (é possível que se notem alguns pedaços maiores de manteiga).

 

Deitar a massa sobre uma superfície enfarinhada, ou entre dois discos de papel vegetal, para formar uma base redonda e que possa forrar a forma redonda que irá utilizar;  Levar ao frigorífico por 20 minutos entre os dois pedaços de papel vegetal

 

Retirar a parte superior de papel ou filme e deitar sobre a forma para forrar. Premir suavemente a massa de pão dentro da tarteira, para ficar sem bolsas de ar. Em seguida, pressionar os lados da massa para cima, contra os lados da forma. A massa vai plissando e pode até quebrar. Sem stress: basta pressionar para voltar a juntar. Levar ao frigorífico.

 

Com a parte de trás de uma colher ou uma pequena espátula, espalhe parte da compota/geléia na base - a quantidade a usar vai depender de quanto quer dar à tarte o sabor da geléia. Polvilhe com a bolacha triturada - se achar que a sua fruta é muito sumarenta, use mais bolacha.( usei 5 bolachas Maria) Cubra esta base com película aderente e leve ao frigorífico enquanto prepara os restantes ingredientes.

 

Com um pano húmido, limpe bem a fruta. Corte-a ao meio e retire os caroços.  

Disponha a fruta sobre a base de massa, com o lado cortado voltado para baixo. Cuidadosamente, dobre as bordas de massa sobre a fruta assim disposta, acomodando as dobras de massa extra. Se não estiver com pressa, leve a tarte ao congelador por 15 minutos para deixar a massa descansar. Eu nunca retirei o papel vegetal debaixo da massa. Quando dobrei as pontas, estas foram acompanhadas com o papel indo para o forno assim. Aquele solta-se com o calor e facilita o trabalho de "moldagem" evitando que a massa se desmanche.

 

Pincele a massa levemente com água, polvilhe com açúcar granulado, 1-2 colheres de chá. Leve ao forno por 25 minutos ou até que a massa esteja dourada e a fruta esteja mole.

 

Creme: com um batedor de varas, bata a manteiga derretida, o açúcar, o ovo e a baunilha numa tigela. Reserve.

 

Retire o tabuleiro do forno (deixando-o ligado) e cuidadosamente verta o creme sobre a fruta. Dependendo da quantidade de sumo que tiver acumulado e do espaço que houver, pode não conseguir usar todo o creme. Não se preocupe, mesmo 2 colheres de sopa já conseguem o efeito pretendido. Deite o máximo de creme que conseguir e leve o tabuleiro novamente ao forno. Eu consegui deitar umas 4 colheres de sopa. Guardei o resto do creme para fazer nova tarte.

 

Asse por mais 12-15 minutos ou até que o creme solidifique - se abanar levemente o tabuleiro, o creme não deve tremer. Transfira o tabuleiro para uma grade e deixe arrefecer por 10 minutos.

Cuidadosamente, transfira a galette do tabuleiro para a grade para arrefecer completamente. Pode servi-la morna ou à temperatura ambiente. Polvilhe com açúcar em pó antes de servir.

publicado por Maria às 09:00
19
Mai
13

 

O World Baking Day é um incentivo para todos irmos para a cozinha fazer um bolo, um doce, um pudim, um pão, qualquer coisa que possamos fazer em conjnto com a família e, se possível, que nunca nos tenhamos atrevido a fazer, anteriormente. A minha escolha recaiu sobre a esta Sericaia sendo que a receita foi baseada nos ensinamentos do Chef José Avillez. Ficou deliciosa, apesar de um pouco mais baixa que o desejado, pois usei um tabuleiro maior que o recomendado.
O que preparar:
  1. 6 ovos;
  2. 250g de açúcar;
  3. 2 paus de canela;
  4. 6 colheres de farinha de trigo;
  5. 2 tiras de casca de limão ( só a parte amarela);
  6. 0,5 l de leite;
  7. canela a gosto;
  8. fruta vermelah para acompanhar ( groselha, morango, amora, etc).

Como preparar:

Separar as gemas das claras dos ovos. Misturar as gemas com a açúcar sem bater. Misturar o leite com a farinha mexendo bem até deixar de haver grumos. Juntar esta mistura à das gemas com o açúcar, juntar ainda os paus de canela e as cascas de limão e levar ao lume brando, mexendo sempre, até engrossar. Atenção para não deixar ferver pois os ovos ficarão com aspecto de ovos mexidos. Bater as claras em castelo e juntá-las ao preparado das gemas quando este tiver arrefecido. Retirar os paus de canela e as cascas de limão e verter a mistura para um tabuleiro ( 12x15) untado de manteiga. Polvilhar com canela e levar ao forno pré aquecido a 180ºC durante certa de 25 min.

Servir frio acompanhado com frutos vermelhos.

Também pode ser servido com uma calda de 100g de açúcar com 0,5 dl de água, 1 pau de canela e uma casquinha de limão.Ferve 5 minutos exactos, coa-se, e já está.

Quanto a mim, gostei imenso do resultado. Ojectivo alcançado, missão cumprida.

Quanto a si, já foi para a cozinha fazer o seu bolo?

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 11:38
13
Mai
13
Este doce surgiu na sequência de um bolo que não ficou bem do meu agrado ( não te rias, Mena Lopes). Tinha visto aqui há algum tempo uma combinação parecida num vídeo da Nigella Lawson e pus mãos à obra. O resultado foi maravilhoso, acreditem. E faz-se na hora. É claro que um pouco de frigorífico ajuda muito.
O que preparar:
  1. Algumas fatias de um bolo qualquer seco;
  2. 1 pacote de natas frescas ( 200ml);
  3. 2 colheres de sopa de açúcar;
  4. 3 colheres de sopa de marmelade ( penso que resultará igualmente bem com gelatina de laranja em forma de gel, ou seja, diluida em mais água que o habitual);
  5. 4 a 5 colheres de sopa de água;
  6. Raspas de laranja;
  7. Morangos a gosto.

Como preparar:

Partir algumas fatias com cerca de 1cm de um bolo seco que não tenham gostado muito ou que tenha sobrado e esteja já um pouco retardado.

Dispor as fatias num prato e verter por cima uma calda resultante da marmelade que foi diluida em 5 colheres de sopa de água e levada ao lume para liquefazer um pouco. Fazer de modo a que todas as fatias fiquem embebidas na calda.

Bater as natas em chantily, acrescentando 2 colheres de sopa de açúcar e umas gotas de sumo de limão. Deixá-las em chantily mas não muito firmes. Barrar as fatias de bolo.

Arranjar e lavar morangos e dispor por cima, decorando a gosto.

Raspar uma laranja por cima do doce e levar ao frio.

Servir assim ou acompanhado com uma bola de sorvete de morango.

Mãos à obra.


publicado por Maria às 19:59
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
De facto cavala e sarda não são o mesmo peixe, as ...
Top blogs de receitas
blogs SAPO