Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
06
Jun
14
Parece que agora o meu blog anda movido a desafios. Tentarei daqui para a frente ser mais assídua nas publicações pois tenhos algumas coisas simpáticas para partilhar convosco.
Porém, como já é novamente sexta feira, e passados que foram quinze dias do último desafio do grupo Dorie às Sextas em que, apesar de ter feito a receita sugerida, não a publiquei aqui, venho partilhar um doce maravilhoso e que arrancou rasgados elogios cá por casa. Foi pensado para bolo de aniversário do meu filho, e por ser diferente dos bolos comuns de aniversário, pois não é bolo, surpreendeu pela positiva os convivas.
Parece muito complicado para quem lê a receita transversalmente dando vontade de po-la de lado; eu sei e foi isso que me aconteceu, também.
Mas dediquem-se a ler atentamente e verão que é muito,muito fácil. O único senão é o tempo de espera enquanto gela cada camada mas não é preciso ficarmos sentadas à espera. Simplesmente, de vez em quando, vamos "entornar" uma camada e voltar a colocar no congelador. Façam, pois garanto-vos que não se arrependerão.
A receita original e traduzida pela Susana foi copiada na íntegra. Naõ fiz alterações, excepto em não ter misturado as framboesas na totalidade do gelado, ie, usei metade da quantidade de framboesas recomendadas em metade do gelado de baunilha. A outra metade do gelado usei-o simples, somente com sabor a baunilha. Daí aparecer na foto uma camada de gelado cor de framboesa e a outra camada creme, cor de gelado de baunilha. Isto para além das camadas de chocolate, claro.
Por precaução, forrei o fundo amovível da forma com película aderente, para desenformar mais facilmente.
O que preparar:

200 g. de manteiga sem sal, cortada em pedaços
255 g. de chocolate amargo, cortado grosseiramente
1/2 chávena de açúcar
8 ovos grandes
285 gramas de framboesas congeladas em xarope, descongeladas - usei metade que misturei em metade da quantidade de gelado.
1 colher de sopa de licor de framboesa (opcional)- não usei
1 litro de gelado de baunilha
560 gramas de framboesas frescas, para decorar (opcional)

 

 

Como preparar:

 

Untar com óleo (ou óleo em spray) uma forma redonda, de mola, com entre 20 e 22 cm de diâmetro. Em banho-maria (em cima de um tacho com água a fervinhar), numa tigela resistente ao calor, derreter lentamente o chocolate e a manteiga, mexendo ocasionalmente. Ter cuidado para não aquecer demasiado a mistura, de modo a que o chocolate e a manteiga não se separem. Transferir a taça para o balcão, misturar o açúcar e deixar arrefecer durante cinco minutos. Incorporar os ovos na mistura de chocolate, um de cada vez, mexendo bem entre cada adição. Bater com a tigela no balcão de modo a tirar as bolhas da ganache e deitar 1/3 da mistura na forma. Congelar durante 30 minutos. Cobrir a restante ganache com película e manter no balcão.

Quando a primeira camada de ganache estiver sólida, começar a fazer o gelado. Triturar as framboesas até ficarem em puré (num processador de alimentos), juntar o licor (se for o caso) e pulsar até estar incorporado. Adicionar aos poucos o gelado, pulsando até incorporar o puré mas evitando fazê-lo durante demasiado tempo para não derreter o gelado. Deitar metade do gelado sobre a ganache, levando a forma novamente ao congelador durante pelo menos quinze minutos. Colocar o restante gelado numa tigela, cobrir com película e levar ao congelador. Não lavar já o processador, poderá ser necessário para amolecer o gelado, um pouco mais à frente.

Quando a camada de gelado tiver solidificado, cobrir com metade da restante ganache, levando a forma ao congelador por mais 30 minutos. Para a próxima camada de gelado, poderá ser necessário batê-lo com uma colher de pau ou, caso esteja muito sólido, levá-lo ao processador de alimentos, pulsando durante uns segundos. Deitar a camada seguinte de gelado sobre a ganache, levando ao congelador durante pelo menos quinze minutos. Terminar com a restante ganache sobre o gelado. Abanar a forma e alisar, se necessário. cobrir com a película, tendo o cuidado de não a deixar tocar no chocolate, levando ao congelador durante pelo menos seis horas.

Cerca de 30 minutos - ou até três horas - antes de servir, desenformar o bolo (aquecer os lados da forma com um secador de cabelo ou embrulhar a forma num pano de cozinha, molhado com água quente durante 10 segundos). Após desenformar, levar ao congelador durante mais 30 minutos para solidificar os lados. Imediatamente antes de servir, decorar o topo do bolo com as framboesas (opcional). Aquecer rapidamente o topo do chocolate com o secador de modo a que as framboesas adiram ao serem colocadas ou passar com uma faca aquecida em água quente na superfície do bolo. Servir.

 

Algumas sugestões alternativas: servir com natas batidas, molho de chocolate ou coulis de framboesa. Usar outros sabores de gelado, por exemplo, baunilha, baunilha com pepitas de chocolate, baunilha com fudge, café, morango (decorando com morangos frescos)... ou qualquer outra combinação que gostem!!!
Mãos à obra

publicado por Maria às 08:00
10
Mai
14

 

 

 

 

É com todo o prazer que torno ao meu espaço há algum tempo abandonado, para partilhar convosco mais uma receita, com sucesso garantido. É mais uma participação no simpático grupo Dorie às Sextas.

Hesitei bastante pois, tenho de admitir que doces de banana não são, de todo, os meus favoritos. Mas, li e reli tantos "Mmmmm", em cada participação que entrava que achei que não deveria julgar por antecipação.

E cá está, um bolo muito bom, de fácil execução e que aconselho vivamente.

Segui a receita quase na íntegra, excepto na junção de leite de coco que substitui por iogurte. No final, com o bolo ainda quente, reguei-o com uma calda de rum com laranja. Excelente, creiam-me.

 

O que preparar:

 

2 2/3 chávenas de farinha

1 1/4 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de noz-moscada, ralada no momento
170 gramas (12 colheres de sopa) de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 chávena de açúcar amarelo ou açúcar mascavado
3/4 chávena de açúcar branco
2 ovos grandes, de preferência à temperatura ambiente
1 1/2 colheres de chá de extracto de baunilha
2 colheres de sopa de rum ou de Malibu
1 1/2 - 1 3/4 chávenas de bananas muito maduras, esmagadas (cerca de 4 bananas)
1/2 chávena de leite de coco não açucarado (pode usar-se normal, light ou, alternativamente, leite gordo, buttermilk, nata ácida ou iogurte natural)
1 chávena de coco ralado, de preferência tostado (ou igual quantidade de frutos secos, variedade húmida, como passas, alperces, arandos, mirtilios cerejas, ou combinação de coco e frutos secos)

 

Para a Calda de Rum ( opcional):

 

2 cups de água

2/3 de cup de açúcar

1 laranja

2 colheres de sopa de rum.

 

 

Como preparar:

 

Centrar um tabuleiro o forno e pré-aquecê-lo a 175ºC. Untar com manteiga duas formas circulares de 23 cm (5 cm de altura), polvilhar com farinha e sacudir o excesso. Colocar as formas sobre uma base para biscoitos.
Misturar a farinha, o bicarbonato, o sal e a noz-moscada.
Com uma batedeira de pé, de preferência com a pá (paddle attachment), ou com a batedeira manual numa taça grande, bater a manteiga até ficar cremosa. Adicionar os açúcares e bater em velocidade média durante uns minutos, acrescentando em seguida os ovos um a um e batendo bem entre cada adição. Juntar em seguida o rum e o extracto de baunilha. A massa ficará sedosa. Diminuindo a velocidade, acrescentar as bananas, o que fará com que a massa talhe (o que não tem problema, já que irá ficar bem com os restantes ingredientes). Ainda em baixa velocidade, acrescentar os ingredientes secos e os líquidos alternadamente: a mistura da farinha em 3 vezes e o leite de coco em 2 vezes, começando-se e acabando com os ingredientes secos. Misturar apenas até estar tudo incorporado. Com uma espátula de borracha, envolver gentilmente o coco. Dividir a massa uniformemente pelas duas formas. Levar ao forno durante 45 minutos ou até os bolos estarem num tom castanho-dourado profundo. Deverão começar a despegar-se do lado das formas e uma faca inserida no centro deverá sair seca. Transferir os bolos para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer durante cinco minutos, desenformar e inverter para outro tabuleiro até ficar à temperatura ambiente, com o lado direito virado para cima.

 

Preparação da calda:

 

Levar ao lume, num tachinho, a água, o açúcar e a laranja descascada e cortada em rodelas. Quando começar a ferver, contar 8 minutos. Juntar o rum e contar mais 1 minuto.

Regar o bolo, ainda quente e previamente picado com um garfo com esta calda.

 

Sugestões

 

A Dorie sugere várias alternativas, seguem algumas: cobertura de natas frescas batidas com baunilha, rum ou Malibu e coco tostado OU creme de chocolate OU ganache OU embeber o bolo em xarope de rum OU polvilhar com açúcar em pó ou chocolate em pó, acompanhando com natas batidas ou gelado OU usar o bolo para fazer um sunday.

 

Tradução da Susana Figueiredo.

 

Mãos à obra.

publicado por Maria às 18:12
06
Dez
13

 

Recordo-me muito bem quando me aventurei a fazer o meu primeiro cheesecake. Nao sei ao certo porque, mas demorei muito tempo a tomar a decisao,, pois sempre julguei que fosse muito mais dificil do que na realidade o e. Segui passo a passo uma receita do Chef Avillez e, claro, nao tinha como nao ser bem sucedida Como sou muito desastrada para a composicao final de doces. fiquei tao, mas tao vaidosa que durante dias e dias foi o meu assunto de eleicao.
Nao pude pois, deixar de sorrir, quando vi que a proposta para o desafio quinzenal do grupo das Dorie as Sextas recaia, precisamente, num cheesecake. Mas, este cheesecake e diferente, pois e de forno. E igualmente diferente, pois e de chocolate. E, sendo deliciosamente, delicioso ( e perdoem-me a redundancia, mas e mesmo assim que deve ser descrito), foi este cheesecake que serviu de bolo de aniversario dos 28 aniversario do primeiro milagre da minha vida.
So gostaria de fazer uma observacao. Na receita original e aconselhado a que o doce permaneca pelo menos 8 horas no frigorifico, podendo ir ate 3 dias. Porem, e por experiencia propria, aconselho vivamente a ser retirado do frio cerca de 15 minutos antes de ser saboreado para melhor se tirar partido dos sabores e ficar mais cremoso.
Na receita base que eu segui a risca,usei uma cobertura de creme fraiche e decorei com framboesas. Enriquece o doce visualmente e induz um agradavel contraste de sabores.
O que preparar:

 

Massa

1 1/2 chávenas de migalhas de bolachas (tipo graham cracker)

2 colheres de sopa de açúcar

1/4 de colher de chá de canela em pó

3 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida

 

Recheio

680g de queijo-creme à temperatura ambiente

1/2 chávena de açúcar

3 ovos grandes, à temperatura ambiente

1 colher de chá de extracto de baunilha

Uma pitada de sal

115g de chocolate semi-amargo, derretido, ligeiramente arrefecido

 

Como preparar:

 

 

Para a base: misturar todos os ingredientes com as pontas dos dedos; colocar numa forma de tarte com aproximadamente 22cm, pressionar com os dedos e levar ao congelador por 10 minutos. Levar ao forno, a 185º por 10 minutos, ou até dourar ligeiramente. Arrefecer numa grade; manter o forno ligado.

 

Num processador de alimentos, bater o queijo-creme juntamente com o açúcar, raspando a tigela 2 ou 3 vezes, durante 2 minutos. Adicionar os ovos, a baunilha e o sal: pulsar 4 vezes, raspar a tigela e pulsar mais 2 vezes. Despejar o chocolate, pulsar e raspar algumas vezes para misturar bem a massa.

 

Retirar a tigela do processador e bater no balcão para eliminar as bolhas da massa. Deitar na forma. 

 

Levar ao forno por 35 a 40 minutos, aproximadamente. A parte superior deve estar inchada e definida, mas o centro do bolo ainda estará um pouco instável. Transferir a forma para uma grade de arrefecimento e deixar arrefecer até à temperatura ambiente; levar ao frigorífico durante pelo menos 8 horas, ou até 3 dias.

 

publicado por Maria às 18:18
19
Jul
13
Foi com alguma satisfacão que recebi a notícia do tema desta quinzena. Gelados, aquela coisa fresquinha, docinha e com que eu, simplemsmente, me delicio. Nas minhas experiências ""sorvetícias" já tinha feito gelado de pêssego, que ficou muito agradável. Esta, sendo da Dórie e levando o clássico custard, deduzi que só poderia ser do meu agrado.
Porém, confesso que a minha opinião acerca de gelados com custard se mantêm ou seja, é muito bom para gelados de natas, baunilha e chocolate; para gelados de fruta torna-os muito densos. Para além disso, apesar de ter reduzido a quantidade de açúcar para metade, ficou muito doce pelo que tenho a certeza que basta o mel para adoçar este gelado.
Finalmente, acho prefeitamente dispensáveis os bocadinhos de fruta que se junta quase no final. Congelam dando a impressao, ao comermos o gelado, que este ficou com cristais de gelo. Portanto, não é , de todo, uma mais valia.
Mas, no cômputo geral, ficou agradável, ou não fosse um gelado!
O que preparar:
  • 4 pêssegos maduros;
  • ¼ cup de mel;
  • 1 cup de leite gordo;
  • 1 cup de natas;
  • 3 gemas de ovo de ovos grandes;
  • ½ cup de açúcar;( usei 1/4)
  • 2 colheres de chá de baunilha. ( usei vagem de baunilha sem as sementes)
Como preparar:

Cortar 2 dos pêssegos em pedaços pequenos e colocá-los numa panela pequena. Juntar o mel, levar ao lume e quando ferver, baixar o lume, tapar a panela e deixar amaciar a fruta cerca de 10 minutos. Colocar o preparado num liquidificador ou processador e reduzir a puré. Reservar.

Misturar o leite e as natas e levar ao lume até levantar fervura.

Entretanto, misturar as gemas com o açúcar numa tigela refratária e mexer com uma vara de arames. Verter lentamente sobre esta mistura o leite e natas fervidos e ainda quentes, mexendo sempre para não talhar as gemas. Deve-se deitar metade do líquido, mexer e só depois se deve deitar a outra metade, muito lentamente. Deitar a mistura numa panela e levar ao lume, mexendo sempre, até engrossar. Voltar a deitar a mistura numa tigela refratária e nessa altura adicionar a baunilha e o puré de pêssego que havia sido reservado.

Refrigerar o preparado. Quando estiver bastante fresco vertê-lo para a cuba da máquina de gelados e proceder seguindo as instruções do fabricante.

Partir em cubos pequeninos os restantes pêssegos ( 2) e juntar ao gelado quando este já estiver com consistência espessa.

Quando pronto na máquina de gelados, levar ao congelador mais cerca de 2 horas em caixa fechada, até que esteja pronto para ser retirado com a colher.

Mãos à obra.

publicado por Maria às 08:00
29
Jun
13

Como abomino trabalho no forno em ambiente de 30ºC, quando vi que a escolha do desafio da quinzena das Dories às Sextas recaia sobre bolinhos no forno, coloquei imediatemente de parte a ideia de participar. Porém, ao ver a publicação e os elogio tecidos pela Mena, uma menina que muito aprecio e com uns dotes de doceira fora do comum, acabei por ceder à tentação e lá os fiz para a sobremesa. São excelente, pois são muito fáceis de executar, rápidos na cozedura e prestam-se a uma enorme variedade de recheios. Os meus foram recheados com gelado de morango, fruta marcerada em limoncello e coulis de morango. Foram muito apreciados cá em casa.

O que preparar:

Bolinhos:



  1. 2 cup de farinha de trigo;

  2. 1 colheres de sopa fermento;

  3. 1/2 colher de chá sal;

  4. 3 colheres de sopa açúcar;

  5. 80g de manteiga sem sal, fria, cortada em pedaços pequenos;

  6. 3/4 cup de natas frias.


1 cup - 250 ml



Como preparar:

Juntar a farinha, o fermento, o sal, o açúcar e a manteiga numa taça. Amassar com a ponta dos dedos, fechando e abrindo ligeiramente as mãos pressionando com os polegares sobre as partes laterais dos indicadores quando se fechar as mãos. A massa ficará com um aspecto grumoso, sentido-se ainda alguns pedaços de manteiga. Juntar as natas e mexer com um garfo sem ser em damasia. A massa fica ligeiramente pegajosa. 

Forrar um tabuleiro com papel vegetal e tender bolinhas pequenas. Colocá-las no tabuleiro com um espeço de cerca de 3cm entre si e pressionar cada uma com o polegar ou as costas de uma colher para as achatar ligeiramente. Deverão ficar com cerca de 1cm de altura.

Lecar a cozer em forno pré aquecido a 180ºC cerca de 15 a 20 minutos.

Retirá-las do forno e dispor numa rede para arrefecerem.

Parti-las com cuidado ao meio e transversalmente e rechear a gosto.

Recheei com gelado de morango, frutas partidas e deixadas a mercerar no frigórifico com 1 colher de sopa de limoncello e coulis de morango que o fiz levando ao microondas alguns morangos lavados e partidos em pedaços, regados com sumo de 1/4 de limão e adoçados com 1 colher de sopa de açúcar - 3 minutos em potência alta é o suficiente para transformar os ingredientes num creme delicioso.

Mãos à obra.






publicado por Maria às 14:39
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
De facto cavala e sarda não são o mesmo peixe, as ...
Hoje dia 03 de Março de 2015 fui à procura de uma ...
Top blogs de receitas
blogs SAPO