Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
subscrever feeds
Posts mais comentados
19
Set
13

E chegou a Margarida com uma salada de frutas fresca e deliciosa daquelas que os meus fifis irão fazer de certeza. Ela aconselha a usar-se no caldo whisky de boa qualidade ,e isso é mesmo o que não falta lá pela terra onde estão.

Na sua cozinha dos Tachos vs Panelas, a minha querida amiga e dotada cozinheira fez-nos este presente com todo o carinho, pois  não sabe fazer as coisas de outra forma.

Obrigada Margarida, e até dia 21.

publicado por Maria às 12:49
01
Set
13
E mais um mês volvido e mais uma publicação de receita do desafio "Dia Um... Na cozinha". À semelhança dos desafios anteriores, é-nos proposto um tema no dia 15 de cada mês e com base nesse tema temos de confeccionar livremente uma receita. Desta feita foi-nos proposto a confecção de uma galette de frutas, e aqui estou com a minha. A diferença entre este mês e os anteriores prende-se com o facto da comunidade participante se ter alargado imenso, pois foi fundado um grupo que cresceu, num só mês, explosivamente. Quem ainda não pertence à comunidade e tenha agradado o desafio, basta somente pedir adesão aqui. Será sempre bem vindo e recebido de braços abertos pelas simpáticas administradoras. Estamos à sua espera. Entramos?
O que preparar:
Para a massa: 
  1. 1 e 1/2 chávenas de farinha
  2. 2 colheres de sopa de açúcar
  3. 3/4 colher de chá de sal
  4. 150g de manteiga sem sal, fria, cortada em cubos pequenos
  5. 2  e 1/2 colheres de sopa de gordura vegetal fria, cortada em 2 pedaços
  6. 1/4 chávena de água gelada
usei esta receita da Dorie Greenspan para a massa pois gostei imenso.


Para o recheio:

  1. Frutas da época, de preferência "carnudas" e sumarentas. Usei Ameixas amarelas, nectarinas e figos. Confesso que os figos não trouxeram mais valia uma vez que secam com o calor da cozedura. 
  2. Compota, de preferência caseira. Usei compota de ameixa.
  3. Bolachas Maria triturada ( usei 5).


Para o creme:

  1.  3 colheres sopa de manteiga sem sal, derretida e fria
  2.  1/3 medida de açúcar
  3.  1 ovo grande
  4.  1/4 colher chá de extracto de baunilha


 

Como preparar:
A massa:

Colocar a farinha, o açúcar e o sal num processador de alimentos com uma lâmina de metal e pulsar apenas para combinar os ingredientes. Adicionar a manteiga e a gordura; pulsar até que os pedaços estejam misturados com a farinha. Não mexer demais - nesta altura devemos ter pedaços irregulares do tamanho de ervilhas. Pulsar de forma intermitente, acrescentando, gradualmente, 3 colheres de sopa de água gelada para a massa. Continuar a adicionar a água, um pouco de cada vez, pulsando, até que a massa fique uniforme (é possível que se notem alguns pedaços maiores de manteiga).

 

Deitar a massa sobre uma superfície enfarinhada, ou entre dois discos de papel vegetal, para formar uma base redonda e que possa forrar a forma redonda que irá utilizar;  Levar ao frigorífico por 20 minutos entre os dois pedaços de papel vegetal

 

Retirar a parte superior de papel ou filme e deitar sobre a forma para forrar. Premir suavemente a massa de pão dentro da tarteira, para ficar sem bolsas de ar. Em seguida, pressionar os lados da massa para cima, contra os lados da forma. A massa vai plissando e pode até quebrar. Sem stress: basta pressionar para voltar a juntar. Levar ao frigorífico.

 

Com a parte de trás de uma colher ou uma pequena espátula, espalhe parte da compota/geléia na base - a quantidade a usar vai depender de quanto quer dar à tarte o sabor da geléia. Polvilhe com a bolacha triturada - se achar que a sua fruta é muito sumarenta, use mais bolacha.( usei 5 bolachas Maria) Cubra esta base com película aderente e leve ao frigorífico enquanto prepara os restantes ingredientes.

 

Com um pano húmido, limpe bem a fruta. Corte-a ao meio e retire os caroços.  

Disponha a fruta sobre a base de massa, com o lado cortado voltado para baixo. Cuidadosamente, dobre as bordas de massa sobre a fruta assim disposta, acomodando as dobras de massa extra. Se não estiver com pressa, leve a tarte ao congelador por 15 minutos para deixar a massa descansar. Eu nunca retirei o papel vegetal debaixo da massa. Quando dobrei as pontas, estas foram acompanhadas com o papel indo para o forno assim. Aquele solta-se com o calor e facilita o trabalho de "moldagem" evitando que a massa se desmanche.

 

Pincele a massa levemente com água, polvilhe com açúcar granulado, 1-2 colheres de chá. Leve ao forno por 25 minutos ou até que a massa esteja dourada e a fruta esteja mole.

 

Creme: com um batedor de varas, bata a manteiga derretida, o açúcar, o ovo e a baunilha numa tigela. Reserve.

 

Retire o tabuleiro do forno (deixando-o ligado) e cuidadosamente verta o creme sobre a fruta. Dependendo da quantidade de sumo que tiver acumulado e do espaço que houver, pode não conseguir usar todo o creme. Não se preocupe, mesmo 2 colheres de sopa já conseguem o efeito pretendido. Deite o máximo de creme que conseguir e leve o tabuleiro novamente ao forno. Eu consegui deitar umas 4 colheres de sopa. Guardei o resto do creme para fazer nova tarte.

 

Asse por mais 12-15 minutos ou até que o creme solidifique - se abanar levemente o tabuleiro, o creme não deve tremer. Transfira o tabuleiro para uma grade e deixe arrefecer por 10 minutos.

Cuidadosamente, transfira a galette do tabuleiro para a grade para arrefecer completamente. Pode servi-la morna ou à temperatura ambiente. Polvilhe com açúcar em pó antes de servir.

publicado por Maria às 09:00
24
Jul
13
A ameixa, apesar de ser da família da cereja e do pêssego ( as suas ávores), é um parente pobre daqueles dois  pois não é tão ansiada nem elogiada por tantos de nós. Pessoalmente, se vejo os três frutos lado a lado, vou primeiro para as cerejas, em segundo lugar para os pêssegos e só por fim para as ameixas. E, quando como uma ameixa, doce e sumarenta interrogo-me porque a preteri perante as outras duas frutas. E nessa altura acho que fui injusta para tão delicioso fruto.
Para compensar tamanha e infundada injustiça, decidi fazer dela rainha. E, para esse efeito, nada melhor que fazer um geladinho de Ameixa Preta. Ficou nas lista dos favoritas cá por casa.
O que preparar:
  1. 5 a 6 ameixas grandes e maduras;
  2. 50ml de água;
  3. 2 + 3 + 3 colheres de sopa de açúcar;
  4. 200ml de natas para bater;
  5. 3 claras de ovo;
  6. algumas gotas de sumo de limão.
Como preparar:
Descaroçar as ameixas e colocá-las num tacho juntamente com 2 colheres de sopa de açúcar. Levar ao lume juntamente com a água. Deixar ferver lentamente até as ameixas se desfazerem completamente ficando um doce ligeiro ( nem muito líquido nem muito consistente). Esta operação demora cerca de 10 minutos. Retirar do lume e deixar arrefecer completamente.
Misturar 3 colheres de sopa de açúcar nas claras e batê-las até ficarem em castelo. Misturar o doce de ameixa com cuidado para as claras não perderem o ar. Bater as natas juntamente com as restantes 3 colheres de sopa de açúcar juntando algumas gotas de sumo de limão. Quando montarem juntá-las ao preparado de doce de ameixa e claras. Deitar a mistura na máquina de gelados e proceder seguindo as instruções do fabricante. Na minha máquina deixo cerca de 30 minutos até atingir o ponto desejado.
Colocar no congelador até servir.
Em alternativa à máquina de gelados, pode colocar directamente no congelador tendo o cuidado de, nas primeiras 2 horas mexer energicamente com um garfo de 1/2 em 1/2 hora. Porém, a adição das claras em castelo evitam a formação de cristais de gelo.
Mãos à obra.

 

 

 

tags: ,
publicado por Maria às 18:35
15
Jul
13
Uma sobremesa muito fácil  de preparar, fresca e com um efeito muito bonito. Os pêssegos estão ao rubro por isso, há que aproveitar.
O que preparar:
  1. 3 pêssegos grande ou 6 pequenos maduros mas firmes;
  2. 250ml de água;
  3. 200g de açúcar;
  4. 1 vagem de baunilha sem sementes ou, em alternativa, 1 pau de canela;
  5. 2 estrelas de aniz ( opcional);
  6. 1 punhado de cerejas, morangos ou amoras;
  7. 1 bola de gelado de sabor à escolha.

Como preparar:

Cortar os pêssegos com a casca ao meio e rodar cada metade em sentido inverso para retirar o caroço. Levar ao lume o açúcar, a água, a vagem de baunilha e as estrelas de aniz ao lume. Quando começar a ferver, contar 5 minutos. Ainda com a calda ao lume, colocar os pêssegos com a parte cortada virada para baixo deixando-os cozer entre 2 a 3 minutos. Poderá ser um pouco mais dependendo da consistência da fruta. Estará no "ponto" quando se introduzir uma faca e se sentir a fruta macia. Retirar para um prato e deixar arrefecer. Reservar a calda. Esta fica com uma cor linda.Quando os pêssegos estiverem frios, retirar com os dedos a pele pois sairá facilmente, descartando-a.

Entretanto, retirar o caroço às cerejas e colocá-las num copo juntamente com 2 ou 3 colheres da calda do pêssego. Triturar de forma mais ou menos grosseira, conforme se quiser o coulis. 

Servir uma metade de pêssego regado com um pouco de calda, acompanhado com uma colher de sobremesa de coulis e uma bola de gelado de sabor à escolha ( fica muito bem o de baunilha).

A calda que sobrar poderá ser aproveitada para cozer novos pêssegos.

Mãos à obra.

 

Fonte

 

publicado por Maria às 16:15
06
Jul
13
Em França e na Suíça, panaché ( mistura) é uma mistura de cerveja com limonada. Aqui e hoja, panaché é a melhor salada de frutas que tenho comido. Pode ser feita com a fruta que temos em casa e da época, preferencialmente. Sem adição de açúcares é uma sobremesa muito  fresca e saudável sendo que o poejo é a chave do seu sucesso. E por ser muito saudável erefrescantemente deliciosa é com ela que venho participar no desafio que o fantástico blog The Wild Kitchen nos lançou. Espreitem e não deixem de participar. O prémio é muito aliciante.
E agora vamos lá ao modus operandi desta fantástica salada/refresco:
O que preparar:
  1. Fruta da época - usei figo, laranja, cereja, pêssego, meloa e alperce;
  2. sumo de 1/2 laranja por cada copo;
  3. algumas folhinhas de poejo;
  4. 1 colher de sopa de limoncello, por copo ( facultativo);
  5. 1 bola de sorbet de limão e limoncello por copo.

Como preparar:

Lavar e coutar a fruta em pedaços ou fatias e dispor nos copos. Espremer as laranjas e deitar o sumo por cima da fruta. Juntar 1 colher de limoncello em cada dose bem como algumas folhinhas de poejo. Levar ao frigorífico deixando permanecer 1 hora no frio. Na altura de servir, colocar uma bola de sorbet em cada copo. Das melhores sobremesas que tenho comido, sem dúvida alguma.

Mãos à obra.


publicado por Maria às 08:41
Contador
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
maravilha
maravilha
De facto cavala e sarda não são o mesmo peixe, as ...
Top blogs de receitas
blogs SAPO