Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
26
Jan
12

O meu fifi Tápi é um comilão, como qualquer teenager que se preze. Com ele, nunca sei se fui bem sucedida numa receita, pois na sua opinião tudo está delicioso, saboroso, apetitoso e todos os adjectivos terminados em “oso” e come como se não houvesse amanhã.

 

Uma das coisas que muito aprecia é manteiga de amendoim; gosta de manteiga de amendoim com tudo e tudo com manteiga de amendoim. No alto do seu 1,90m, com apenas 73Kg, não percebo, sinceramente, onde se aloja tanta comida.

 

Bem, decidi fazer a tão apreciada manteiga de amendoim de uma forma caseira. Investiguei e foi num fórum Bimby que encontrei a forma de confeccionar que mais me agradou.

 

Fui bem sucedida e ficou um creme muito saboroso e com a vantagem de não ter conservantes. Não estou a fundamentar-me na opinião dele pois, pelas razões que expus, não é muito fiável.

 

Provei e gostei muito. Atrevo-me a dizer que até é mais saborosa que a de compra. Receita a repetir e, a partir desta data, as marcas de manteiga de amendoim perderam uma cliente. E uma boa cliente, acreditem ;)

 

 

 

O que preparar:

 

  1. 2 chávenas de amendoim torrado;
  2. 1 colher de chá de óleo, sendo de preferência de amendoim;
  3. 1,5 colher de chá de açúcar;
  4. 0,5 colher de chá de sal.

 

Como preparar:

 

Colocar todos os ingredientes num triturador forte e ligar na velocidade máxima até se formar uma pasta.

 

Caso se goste de pepitas de amendoim misturadas na manteiga, antes de a fazer, colocar no triturador um punhado de amendoins e triturar a velocidade média por 2 ou 3”. Reservar e juntar à manteiga de amendoim depois de pronta.

 

Eu usei a Bimby para triturar mas poderá ser feita noutro triturador qualquer potente. O efeito é o mesmo.

 

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
25
Jan
12

 

 

 E tudo começou com uma entrevista à Chef Justa Nobre onde lhe pediram  uma sugestão para uma entrada saborosa e simples de confeccionar. O meu marido ouviu-a na rádio, passou-ma e eu, no Domingo, pus mãos à obra.

Um sucesso!

 

O que preparar:

  1. 1 alheira de caça;
  2. Ovo batido;
  3. Sementes de sésamo;
  4. Óleo bem quente para fritar.

Como preparar:

Tirar a pele à alheira e tender bolinhas do tamanho de nozes. Passá-las por ovo batido, em seguida por sementes de sésamo e fritar em óleo bem quente. Deixar escorrer sobre papel absorvente …

Et Voilá !!!

Delicioso.

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
24
Jan
12

Esta forma de cozinhar a pescada torna-a deliciosa e é muito prática de preparar.

 

Fifis, toca a fazer peixinho, sff!

 

O que preparar:

 

  1. 1 embalagem de tranches de pescada congelada;
  2. 2 tangerinas;
  3. 4 batatas grandes;
  4. 50g de margarina;
  5. Sementes de girassol a gosto;
  6. Azeitonas a gosto;
  7. 1 punhado de orégãos frescos;
  8. Sal e pimenta a gosto;
  9. Crumble  a gosto, que é preparado ralando-se pão atrasado com raspa de tangerina e algumas folhinhas de coentros ou outra erva a gosto.

 

Como preparar:

 

Descascar as batatas, cortá-las em rodelas e espalhar sobre o fundo de um pirex previamente untado com margarina. Dispor por cima as tranches de pescada e temperar com sal, pimenta e a raspa de 1 tangerina. Salpicar com folhas de orégão frescas e espalhar por cima o crumble. Regar com o sumo das 3 tangerinas, espalhar a margarina partida em bocadinhos, salpicar com sementes de girassol e decorar com azeitonas.

 

Levar ao forno médio ( 180ºC) cerca de 40’.

 

Servir de imediato.

 

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
23
Jan
12

Prato muito agradável, que pode ser confeccionado com lulas congeladas e, de preferência grandes que se possam partir em bocados.

 

 

 

O que preparar:

 

  1. 1 Kg de lulas ou potas;
  2. 1 cebola;
  3. 1 dente de alho;
  4. 0,5 dl de azeite;
  5. 3 colheres de sopa cheias de polpa de tomate;
  6. 1 cálice de whisky;
  7. 1 pacote de natas – 200ml;
  8. Sal e pimenta a gosto;
  9. Arroz branco para acompanhar

 

Como preparar:

 

Cortar as lulas em rodelas ou em cubos, conforme p tamanho delas. Levar ao lume a cebola picada, o alho e o azeite. Quando começar a alourar, juntar a polpa de tomate e deixar suar cerca de 2’. Juntar as lulas, mexer e juntar o whisky. Temperar de sal e pimenta e deixar cozer até as lulas estarem tenras. Juntar nessa altura o pacote de natas, altear o lume para estas engrossarem um pouco, não deixando, porém, ferver.

 

Servir sobre uma coroa de arroz branco e decorado com folhinhas de hortelã-chocolate que dão um toque maravilhoso a este prato.

 

Mãos à obra.

 

tags:
publicado por Maria às 08:00
22
Jan
12

  

O arroz de cabidela trata-se de guisado de frango com arroz, ao qual se mistura o sangue do dito. Muitas pessoas apreciam esta iguaria, outras tantas dispensam-na com um ar enjoado.

Porém, e como não se pode agradar a gregos e a troianos, deixo aqui a minha forma de confeccionar este prato, porque cá em casa pertencemos à equipa dos apreciadores, apesar de não o fazer amiúde.

 

O que preparar:

  1. 1 frango do campo;
  2. 1 saco de sangue do frango;
  3. Vinagre na proporção de metade da quantidade do sangue;
  4. 1 cebola;
  5. 1 dente de alho;
  6. 0,5 dl de azeite;
  7. 1 folha de louro;
  8. 1 copo de vinho branco;
  9. 1 cubo de caldo de galinha;
  10. 2 chávenas de arroz carolino;
  11. 5 chávenas de água..
  12. Sal e pimenta a gosto

Como preparar:

Cortar o frango em pedaços de tamanho médio. Lavar bem e temperar com sal e pimenta.

Levar ao lume a refogar em azeite a cebola, o alho e a folha de louro. Quando a cebola alourar, juntar os pedaços de frango e deixar fritar um pouco, mexendo ocasionalmente. Juntar o cubo de caldo e o vinho branco e deixar estufar o frango, em lume brando. O frango de campo, por ter a carne um pouco mais fibrosa, demora mais tempo a cozer do que um frango de aviário; assim, dever-se-á contar com cerca de 45’ para o frango cozer. Juntar nessa altura a água e deixar ferver. Quando a água estiver em ebulição, juntar o arroz e deixar ferver em lume alto, cerca de 5’, baixando depois o lume e tapando o tacho.

Coar o sangue por um passador e misturá-lo com o vinagre,

Passados mais 5’ de se ter tapado o tacho e baixando o lume, deve-se juntar o sangue com o vinagre ao arroz, mexer cuidadosamente para aquele se misturar, tapar novamente o tacho e deixar cozinhar mais 8’.

Servir de imediato pois este arroz deve ser servido com caldo.

Mãos à obra.

publicado por Maria às 08:00
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
últ. comentários
nossa que receita maravilhosa Amei seu blog BJO? (...
I wanted to thank you for this excellent read<a...
No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fritas sã...
 No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fri...
Minha avó, que cresceu em Mogadouro, muitas vezes ...
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
blogs SAPO