Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
04
Fev
12

Hás vezes acho uma pena que, assim como podemos transmitir as imagens dos cozinhados que fazemos, não possamos, igualmente, transmitir o cheirinho bom que exalam.

 

É o caso destas batatinhas que aprendi a fazer no Natal de 2010, num programa televisivo dedicado a esta quadra e apresentado pelo Jamie Oliver.

 

São deliciosas e, durante alguns meses fi-las com muita frequência. A minha irmã adora-as e pediu-me a receita. Não sei se lhe cheguei a dar… Se não dei, aqui está ela.

 

 

 

O que preparar:

 

  1. Batatas descascadas e cortadas em 4, ao alto;
  2. Azeite a gosto;
  3. Folhinhas de alecrim, a gosto;
  4. Sal e pimenta, a gosto.

 

 

 

Como preparar:

 

Colocar as batatas numa panela com água fervente e com um pouco de sal. Deixar cozer as batatas só até meio da sua cozedura ideal, devendo estar um pouco rijas.

 

Escorrer a água, colocar as batatas numa taça de ir ao forno e temperar com sal fini, pimenta acabada de moer e folhas de alecrim fresco.

 

Regar com azeite mas sem exagerar. Levar ao forno quente, a 200ºC, durante cerca de 40’.

 

As batatas devem ficar lourinhas e crocantes nas “arestas” e “vértices”.

 

São óptimas para acompanhamento de carnes, peixes ou, simplesmente, uns ovos mexidos.

 

Mãos à obra.

 

 

 

publicado por Maria às 08:00
03
Fev
12

Apesar de todos os meus pintainhos gostarem imenso de croissants, nunca me tinha atrevido fazê-los em casa. Sempre tive um pouco de medo de fazer massa folhada ou outra que se lhe assemelhasse.

 

Porém, e porque sou uma defensora da teoria que devemos vencer os medos, aventurei-me no passado Sábado. Até porque tenho uma receita do Chefe Silva e todas as receitas deste senhor são infalíveis.

 

Fiz só metade de receita, não fosse o diabo tecê-las.

 

Mas, para grande satisfação, fui bem sucedida.

 

Pena é que só os 3 pintainhos residentes tenham comido os croissants caseiros. Quando os outros vierem de férias e a ninhada estiver completa, repetirei a receita para não se sentirem descriminados J

 

 

 

O que preparar: ( para cerca de 12 croissants)

 

  1. 100g de farinha de trigo, 30g de fermento fresco e água tépida, para o fermento;
  2. 0,5Kg de farinha de trigo;
  3. 2,5dl de água;
  4. 10g de sal;
  5. 50g de açúcar;
  6. 200g de margarina normal ( não é para folhados);
  7. Farinha suficiente para polvilhar;
  8. 1 gema de ovo para pintar;
  9. Açúcar em pó para polvilhar (facultativo).

 

 

 

Como preparar:

 

Deitar os 100g de farinha para o fermento em cima da bancada, abrir uma cavidade ao centro onde se deita os 30g de fermento 2 a água tépida (cerca de 7 colheres de sopa). Desfazer primeiro o fermento, amassando depois tudo, juntando um pouco mais de água, se for necessário fazendo uma bola pequena. Fazer uma cruz sobre a bola e deixar levedar, dobrando o tamanho.

 

Quando o fermento tiver levedado, deitar sobre a bancada os 500g de farinha, abrir uma cavidade no meio e deitar o fermento levedado juntamente com o açúcar e sal.

 

Juntar 2,5dl de água e desfazer tudo com os dedos.

 

Começando pelo meio, amassar tudo, fazendo uma bola de massa fofa nem muito mole nem muito rija. Polvilhar com farinha e cobri-la com um pano até aumentar um pouco de volume.

 

Depois da massa ter levedado, amassá-la para que volte a diminuir de volume e fazer nova bola. Em seguida, polvilhando quer a massa quer a bancada com um pouco de farinha, estender a massa em redondo até ficar com mais ou menos um dedo de espessura (dedo na horizontal) depois, esticar um pouco as 4 pontas de molde a ficar um rectângulo, um pouco mais alto no meio.

 

Com as mãos, espalmar a margarida por fomr que esta fique com a dimensão e forma do centro mais alto do rectângulo de massa, colocando-a sobre esta. Em seguida, com as pontas da massa, cobrir a margarida para que esta fique bem fechada e embrulhada.

 

Estender a massa com um rolo de modo a que esta fique um rectângulo com cerca de 1cm de espessura. Dobrar o rectângulo em 3, voltar a entender e dobrar novamente em 3. Esta operação deve ser efectuada 3 vezes. Por cada volta, deve-se fazer um intervalo de cerca de 5’ sendo que antes da última volta, o intervalo deve ser de 45’.

 

Depois do último descanso de 45’, estender a massa sobre superfície enfarinhada por forma a ficar com 20cm de largura e 6mm de espessura, grosso modo.

 

Com uma faca, traçar triângulos com cerca de 10cm de base.

 

Partindo da base, esticar a massa para alargar e enrolar os croissants, colocando-os num tabuleiro forrado com papel vegetal. Deixar levedar (aumentam bastante de volume) e depois pintá-los muito ligeiramente com gema de ovo batida.

 

Levá-los a cozer em forno forte (200ºC) cerca de 20’. Retirá-los e polvilhá-los com açúcar em pó.

 

Esta receita faz 12 croissants grandes ou 18 pequenos. Como fiz metade da receita, fiz 6 grandes.

 

Decidi também fazê-los simples para serem comidos com uma fatia de queijo ou fiambre. Porém, podem ser recheados com chocolate, doce de ovos, queijo ou o que a imaginação permitir. Se forem recheados, essa operação deverá ser efectuada antes de enrolar os croissants, ou seja, o recehio deverá ser espalhado nos triângulos e só depois se deverá enrolá-los.

 

A julgar pela extensão do texto, parece uma receita difícil de executar. Também tive esse preconceito ao longo de muitos anos, como referi ao princípio. Porém, não é nada difícil, posso garantir-vos; um pouco morosa, mas não difícil. E vale a pena, para se obter o resultado final.

 

Mãos à obra. 

publicado por Maria às 08:00
02
Fev
12

O Lassi de manga, não é mais do que um batido de manga que, normalmente, se bebe em restaurantes indianos para atenuar o picante característico da comida.

 

Frequentamos um restaurante indiano em Lisboa, ali para a Lapa – Fara's Tandory – que serve Lassi de manga como nenhum outro restaurante do género; aliás, servem comida como nenhum outro restaurante do género.

 

Apesar da decoração modesta, que pode suscitar alguma desconfiança a comensais estreantes, esse sentimento esvai-se imediatamente após se provar qualquer dos pratos que é servido. Conheci muitos restaurantes indianos, inclusivamente em pleno coração de Londres onde jantámos, um espaço luxuoso e com um serviço simpático e eficiente mas, a comida em nada se comparou ao nosso restaurante da Lapa.

 

Durante muito tempo tentei reproduzir em casa o Lassi que lá bebemos, pois os meus filhos adoram-no.

 

Ao fim de muitas tentativas, julgo ter conseguido a combinação que mais se assemelha à “original”.

 

Os meus filhos beberam ao lanche e consolaram-se.

 

 

 

O que preparar: ( para cerca de 1l)

 

  1. 1 manga madura mas sem estar “tocada”;
  2. 4 colheres de sopa de  iogurte grego, simples;
  3. 2,5dl de água fresca;
  4. 4 colheres de sopa de açúcar. 

 

Como preparar:

 

Deitar todos os ingredientes num liquidificador e triturar, primeiramente na velocidade média e depois passar para a velocidade máxima, durante cerca de 3’.

 

Servir em copos de batido com duas palhinhas.

 

Este batido fica um pouco espesso mas é assim que é agradável. Uma das experiências que fiz foi com polpa de manga enlatada, mas não resultou tão bem. Fiz ainda outra experiência com iogurte normal e também não resultou na combinação desejada e tão apreciada.

 

portanto, julgo que a fórmula mágica é esta ;) 

Deve ser servido fresco.

 

Mãos à obra. 

 

tags: ,
publicado por Maria às 08:00
01
Fev
12

 

Apesar deste frio tão frio que se faz sentir, hoje apeteceu-me uma salada.

 

É certo que há comidas de verão e comidas de inverno, umas fresquinhas para nos arrefecer o corpo e outras quentinhas para nos aquecer a alma.

 

Porém,  e porque não, sermos irreverentes de vez em quando?

 

Há vezes em que sabe bem ser do contra…

 

E pronto, foi com esta predisposição que fui fazer uma salada. E que bem que me soube!

 

Há dias assim…

 

 

 

O que preparar: ( para 4 doses)

 

  1. 2 peitos de frango, previamente assados ( ou sobras de uma refeição de frango);
  2. ½ manga madura;
  3. 200g de massa fuzilli;
  4. 5 fatias de beterraba de conserva;
  5. 1 punhado de nozes;

 

 

 

Para o molho:

 

  1. ½ dl de azeite;
  2. Sumo de ½ limão;
  3. 1 colher de sobremesa de iogurte simples;
  4. 1 colher de sobremesa de mostarda com sementes;
  5. Orégãos secos, sal e pimenta a gosto.

 

Como preparar:

 

Cozer a massa fuzilli em bastante água salgada. Quando estiver cozida, escorrê-la num passador.

 

Deitar a massa numa taça de mesa e desfiar para cima o frango. Partir a manga em cubos e colocar na saladeira. Partir também as fatias de beterraba em tiras e colocar na saladeira. Partir as nozes grosseiramente ( eu parto com as mãos) e salpicar a salada.

 

Mexer com uma colher para misturar os ingredientes.

 

Entretanto, num frasquinho, deitar os ingredientes para o molho e tapar. Agitar bem e verter para cima da salada.

 

Este molho pode ser feito com antecedência e guardado no frigorífico pois dá para diversas saladas.

 

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
últ. comentários
nossa que receita maravilhosa Amei seu blog BJO? (...
I wanted to thank you for this excellent read<a...
No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fritas sã...
 No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fri...
Minha avó, que cresceu em Mogadouro, muitas vezes ...
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
blogs SAPO