Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
25
26
28
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
24
Jun
12

Há muitos anos atrás, quando os meus filhos mais velhos ainda eram pequeninos, tive uma vizinha e amiga, mulher experiente nas lides culinárias e, como transmontana que era, tinha uma mão para a cozinha como poucas pessoas que conheci ao longo da vida. A sua experiência estendia-se também à economia doméstica, à organização de uma casa entre outros. Partilhou comigo muito do seu saber e, ainda hoje, passados tantos anos, aplico muito dos seus ensinamentos.

A receita que hoje trago, foi-me ensinada por ela. Há muitas mais que, em tempo, partilharei convosco, como um semifrio de pêssego que em breve aqui trarei.

Esta é muito simples e rápida de preparar mas nem por isso deixa de ser deliciosa.

Espreitem:

O que preparar:

  1.      100g de manteiga;
  2.      50g de açúcar branco;
  3.      125g de farinha de trigo;
  4.      2 ovos inteiros;
  5.      3 ou 4 maçãs conforme o tamanho;
  6.      1colher de chá de fermento químico;
  7.      60g de açúcar amarelo;
  8.      1 colher de chá de canela em pó;
  9.      2 ou 3 colheres de sopa de vinho do Porto.

Como preparar:

Pré aquecer o forno a 180ºC.

Bater a manteiga com o açúcar até ficar creme. Juntar os ovos inteiros, um de cada vez. Quando estiver um creme fofo, juntar a farinha e o fermento, previamente peneirados. Descasca-se uma maçã, descarta-se o caroços, parte-se em cubinhos pequenos e junta-se à massa.

Forrar uma forma de aro com papel vegetal previamente untado de manteiga. Deitar a massa e cobri-la com as restantes maças descascadas, descaroçadas e partidas em meias luas grossas. Polvilha-se com o açúcar amarelo, com a canela em pó e, finalmente, borrifa-se com o vinho do Porto.

Levar ao forno cerca de 35’ confirmando a cozedura com o teste do palito ( ao introduzir um palito no bolo, aquele deve sair seco).

Pode ser comida morna ou fria e pode acompanhar uma bola de sorvete de natas ou de baunilha.

Mãos à obra.

publicado por Maria às 08:00
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
25
26
28
29
últ. comentários
No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fritas sã...
 No Amarelo do Colégio Militar as Batatas Fri...
Minha avó, que cresceu em Mogadouro, muitas vezes ...
pois ! No meu tempo (43/51, chumbei um ano), bat...
Ficou lindo, foi a minha inspiração para o almoço ...
Parece impossível a sra classificar como peixe da ...
è um prato da minha infância, de que guardo record...
O que é maca?
Um correcçãoNão consigo recordar o ano mas seguram...
blogs SAPO