Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
16
17
20
21
22
24
25
26
29
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
18
Jan
13
Com uns monstrinhos para lanchar, lembrei-me fazer estes cookies/scnones/ biscuits que se me afiguraram de extrema simplicidade e rápida confecção. Assim, com uma acção, obtive dois resultados, isto é, apresentei um lanche delicioso aos rapazes e participei em mais um desafio do Dorie às Sextas, desta feita com uns biscuits/scones muito, mas mesmo muito bons. Fiz em jeito de cookies, pequeninos, pois ficam muito mais delicados e apetitosos. Foram comidos quentinhos, recheados com manteiga, compota caseira de abóbora e nozes, e com mel. Acompanhados por um chá preto de baunilha, que faz parte integrante um conjunto de variedades de chás vindos directamente do UK e que me foram oferecidos pelo Pai Natal, resultaram num lanche prefeito. A repetir, certamente.
O que preparar:
  1. 1,5 cup de farinha de trigo sem fermento + 0,5 cup de farinha de trigo para bolos, esta com fermento;
  2. 2 colheres de chá de açúcar;
  3. 1/2 conher de chá de sal;
  4. 1 colher de sopa de fermento químico ( usei Royal);
  5. 1 cup + 1 colher de sopa de natas.

Como preparar:

Misturar numa taça todos os ingredientes excepto as natas. Ir deitando as natas em fio misturando a massa com um garfo. Esta tem de ficar consistente, mas macia. Quando estiver com aspecto de massa, mexer com uma colher delicadamente dando, somente, 2 ou 3 voltas. A massa não deve ser batida.

Enfarinhar uma superficie lisa ( bancada da cozinha, por exemplo) e deitar a massa. Enfarinhá-la ligeiramente e estendê-la com as mãos ou rolo de massa deixando-a com cerca de 0,5cm de espessura. Cortar a massa com uma forma e colocar as "bolachinhas" sobre um tabuleiro enfarinhado ou forrado com papel vegetal. 

Levar ao forno pré aquecido a 200ºC cerca de 15´ou até os bolinhos estarem altos e douradinhos. 

Retirar do forno e servir quentinhos.

Como os fiz pequeninos, renderam 22 scones.

Mãos à obra.

publicado por Maria às 08:00
15
Jan
13

...

 Então o meu Príncipe, com paciência, com heroicidade, forçando palidamente o sorriso:

-Meus amigos, há uma desgraça...

Dornan pulou na cadeira:

-Fogo?

-Não, não era fogo. Fora o elevador dos pratos que inesperadamente, ao subir o peixe de S. Alteza, se desarranjara, e não se movia encalhado!

O Grão duque arremessou o guardanapo. Toda a sua polidez estalava como um esmalte mal posto:

-Essa é forte!... Pois um peixe que me deu tanto trabalho! Para que estamos nós aqui então a cear? Que estupidez! E pôr que o não trouxeram à mão, simplesmente? Encalhado... Quero ver! Onde é a copa?

E, furiosamente, investiu para a copa, conduzido pelo mordomo que tropeçava, vergava os ombros, ante esta esmagadora cólera de Príncipe. Jacinto seguiu, como uma sombra, levado na rajada de S. Alteza. E eu não me contive, também me atirei para a copa, a contemplar o desastre, enquanto Dornan, batendo na coxa, clamava que se ceasse sem peixe!

...

 E a cada um o Grão-Duque, escarlate, mostrava com dedo trágico, no fundo da cova, o seu peixe! Todos afundavam a face, murmuravam: ”lá está!” Todelle, na sua precipitação, quase se despenhou. O periquito descendente de Coligny batia as asas, granindo: - “Que cheiro ele deita, que delícia!” Na copa atulhada os decotes das senhoras roçavam a farda dos lacaios. O velho caiado de pó de arroz meteu o pé num balde de gelo, com um berro ferino. E o Historiador dos duques de Anjou movia pôr cima de todos o seu nariz bicudo e triste.

De repente, Todelle teve uma idéia!

-É muito simples... É pescar o peixe!

...

No entanto S. Alteza pescava com fervor! Mas debalde! O gancho, pouco agudo, sem pressa, bamboleando na extremidade da guita frouxa, não fisgava.

-Ó Jacinto, erga essa luz! - gritava ele inchado e suado. - Mais!... Agora! Agora! É na guelra! Só na guelra é que o gancho o pode prender. Agora... Qual! que diabo! Não vai!

Tirou a face do poço, resfolegando e afrontado. Não era possível! Só carpinteiros, com alavancas!... E todos, ansiosamente, bradamos que se abandonasse o peixe!

...

Eça de Queirós, A Cidade e as Serras

{#emotions_dlg.default}

 

O que preparar:

  1. 4 tranches de pescada;
  2. 100g de pasta de azeitona ( ou azeitona triturada);
  3. 50g de broa de milho esfarelada ( só o miolo);
  4. 200g de espinafres;
  5. azeite, sal a gosto.

Como preparar:

Temperar a pescada com um fio de azeite e sal. Misturar a pasta de azeitonas ( que pode ser feita triturando-as) com a broa, um fio de azeite e umas pedras de sal até obter uma pasta.

Cubrir uma das faces da pescada com esta pasta e levar ao forno a cozinhar a 160ºC apenas com a resistência de cima ligada. O peixe deverá ficar junto à resistência de molde a que a crosta fique crocante. Deixar ficar no forno cerca de 15´, dependendo do tamanho das tranches.

Numa frigideira com um fio de azeite e dois dentes de alho esmagados, saltear rapidamente os espinafres.

Escorrer o excesso de água daqueles e servir com a pescada acabada de cozinhar. Poderá ser ainda ter como acompanhamento batatinha cozida com casca.

Mãos à obra.


Receita da autoria do Chef José Avillez

publicado por Maria às 18:10
13
Jan
13
...
(Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.
Come, pequena suja, come!
Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!
Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é de folha de estanho,
Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.)
...
Álvaro de Campos; A Tabacaria - 1928

O que preparar:

  1. 6 peras maduras mas firmes;
  2. 300g de açúcar;
  3. 1,5 l de água;
  4. 125g de chocolate em tablete.

Como preparar:

Levar ao lume, numa caçarola, a água com o açúcar.

Entretanto descascar as peras, deixando intacto o pedúnculo.

Mergulhar as peras na calda, quando esta começar a ferver e cozê-las em lume brando. Quando aquelas estiverem cozidas, retirar para uma taça e manter a calda ao lume até esta reduzir e ficar na caçarola cerca de 0,5l.

Adicionar o chocolate partido em pedacinhos, mexer bem até se dissolver e deixar levantar fervura. Quando isso acontecer, retirar do lume, deixar arrefecer um pouco e verter o preparado sobre as peras cozidas.

Levar ao frio e servir vem fresco. Uma delícia!

Mãos à obra.

publicado por Maria às 16:25
10
Jan
13

Quem não gosta de croquetes, por favor, ponha o dedo no ar!

São fritos e todos temos consciência dos seus malefícios mas, a um bom croquete não há quem resista. Não tenho razão? Quer-me parecer que sim.

Para além de saborosos fazem parte do rol das receitas económicas e, igualmente, das receitas práticas pois, podem ser feitos e congelados antes de fritar. Assim, temos sempre um aperitivo ou mesmo uma refeição ligeira para aquelas ocasiões SOS.

Publico hoje esta receita a pedido de um dos meus fifis, pois comeu-os na véspera de se ir embora e perguntou :

- Ó mamã, como fazes estes croquetes?

Aqui está a receita, meu amor. Para te lembrares da tua mamã.

Afinal, este espaço é vosso.

O que preparar:

  1. 60g de margarina;
  2. 1 dente de alho picado;
  3. 1 folha de loureiro;
  4. 1 cebola pequena picada finamente;
  5. 60g de farinha de trigo;
  6. 1,5 dl de leite ( ou metade leite e metade caldo, ou só caldo de carne);
  7. 200g de carne picada ou aproveitamentos de frango, carne assada, etc;
  8. Sal, pimenta e noz moscada a gosto;
  9. Pão ralado e ovo batido para panar os croquetes;
  10. Óleo para fritar.

Como preparar:

Numa caçarola, derreter a margarina, juntar o alho a cebola e a folha de loureiro e deixar alourar, mexendo sempre para não queimar.

Quando a cebola estiver bem lourinha, juntar a farinha e mexer bem até estar tudo bem ligado.

Mexendo sempre, sobre lume brando, adicionar em fio o leite ou o caldo bem quente. Continuar a mexer até descolar do fundo.

Juntar a carne picada,( eu uso restos de carne assada e pico na Bimby) misturar beme temperar com sal, pimenta e noz moscada. Continuar a mexer cerca de 1 ou 2’.

Fora do lume, misturar 1 ovo batido, deixando-o cair em fio e mexendo sempre.

Levar , novamente, ao lume mexendo sempre até se formar uma bola e descolar do fundo do tacho.

Despejar sobre um tabuleiro ou prato. Alisar, cobrir com papel vegetal e deixar arrefecer.

Cortar pequenas porções e moldar os croquetes.

Passar os croquetes por ovo batido e depois por pãp ralado. Ao passar por este, fazer pressão e alisar para o pão aderir melhor. Nesta fase, poderão ser congelados e serem consumidos conforme houver necessidade. Basta somente tirá-los do congelador  e fritá-los assim, congelados.

Fritar em óleo bem quente e escorrer. Se o óleo não estiver bem quente, os croquetes ficam moles e feios, podendo até rebentarem ou desfazerem-se.

Mãos à obra.

 

 

publicado por Maria às 22:40
06
Jan
13
A Galette des Rois e um bolo tradicionalmente frances que e consumido na epoca da Epifania ( apresentação de Jesus Cristo ao mundo, através da chegada dos Reis Magos trazendo seus presentes) ou seja, pela altura do dia dos Reis, 6 de Janeiro. 
Apesar de se ter gerado alguma confusao, nao e, de todo, o colone frances do nosso Bolo Rei. Ate porque os franceses tem tambem o seu Bolo Rei que consiste num brioche com frutas cristalizadas, esse muito semelhente ao nosso.
Ha varias versoes da Galette diferindo no tipo de recheio: amendoas, que e o mais tradicional e foi o recehio que utilizei aqui, frutas e ate chocolate. O "involocro" e sempre de massa folhada.
Esta receita foi-me dada por uma amiguinha francesa de quem muito gosto, tendo esperanca que um dia venha a pertencer a nossa familia.
Merci Oliv. Bisous.{#emotions_dlg.bouquete}
O que preparar:
  1. 2 placas de massa folhada redonda;
  2. 100g de manteiga sem sal;
  3. 100g de acucar;
  4. 100g de amendoa ralada;
  5. 2 ovos inteiros;
  6. 1 calice de rum;
  7. 2 ou 3 gotas de essencia de baunilha.
Como preparar:
Colocar na batedeira a manteiga e o acucar e bater ate ficar em creme. Juntar os ovos e continuar a bater ate ficar novamente em creme. Adicionar a amendoa ralada e continuar a bater em velicidade media. Adicionar, por fim o rum e a essencia de baunilga e envolver na massa.
Colocar numa base de ir ao forno ( eu usei uma base de pizza), papel vegetal e uma placa de massa folhada por cima. barrar a massa folhada com o creme preparado, tendo o cuidade de deixar uma margem livre em toda a volta de cerca de 3 cm. Com um pincel, barrar essa margem livre com gema de ovo. Colocar gentilmente a outra placa de massa folhada por cima do creme e unir as duas placas em toda a volta da circunderencia. Com a ponta de uma faca fazer riscos paralelos e por cima desses, fazer outros tantos prependicularmente ( desenho tradicional da galette). Pincelar com a restante gema de ovo e levar ao forno quente ( 180C) cerca de 20'. Retirar do forno e esperar 5 ' para arrefecer um pouco. Passar para um prato e deixar arrefecer totalmente para servir.
Maos a obra.

publicado por Maria às 17:17
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
16
17
20
21
22
24
25
26
29
31
últ. comentários
Adorei. ❤️ Adeus e um grande ZACATRAZ
E a tinta? A tinta é essencial para a confecção.
Adorei ler seu post.numero do felipe neto (https:/...
As batatas são efetivamente às rodelas mas aquele ...
Agradeço a receita mas tem algo de errado. Nunca p...
Olá a todos. As batatas são efectivamente às rodel...
Minha senhora D. Ana, lamento desaponta-la,mas alb...
Albardar sardinhas ou outro alimento, pressupõe um...
eu adoro esta receita porque com os ingredientes p...
nossa que receita maravilhosa Amei seu blog BJO? (...
blogs SAPO