Bem vindos à Oficina das Papitas. Este meu projecto, tem como principal objectivo ajudar os meus filhos que já não vivem comigo, mas que têm de cozinhar para si próprios. Espero assim poder ajudá-los. Tentarei fazê-lo com muito amor.
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
18 comentários
9 comentários
6 comentários
6 comentários
4 comentários
29
Mar
12

Quando a vontade de cozinhar não é muita, quando a imaginação parece que se esfumou, quando tenho bacalhau ou qualquer outro peixe, atum de conserva ou carne e não sei o que fazer com ele/a, preparo um suflê pois nunca desiludo quem sento à mesa nessa refeição.

 

O que preparar:

 

  1. 400g de bacalhau;
  2. 40g de manteiga;
  3. 1 colher de sopa de azeite;
  4. 1 dente de alho;
  5. 1 cebola pequena;
  6. 1 folha de loureiro;
  7. 50g de farinha de trigo;
  8. 3,5dl de leitr;
  9. 3 gemas;
  10. 6 claras;
  11. Queijo parmesão para polvilhar;
  12. Manteiga para untar o pirex;
  13. Sal e pimenta a gosto.

 

Como preparar:

 

Depois de demolhar o bacalhau, cozê-lo e  limpá-lo de peles e espinhas.Pisar o bacalhau num pano com a ajuda do rolo da massa ou num passe vite.

 

Fazer um refogado com o azeite, a manteiga, o alho e a folha de loureiro. Quando começar a alourar, adicionar a farinha, mexer bem e em seguida ir juntando o leite quente, em fio, mexendo sempre. Deverá ficar um creme meio espesso. Deixar ao  lume até começar a borbulhar. Nessa altura retirar do fogo e juntar as gemas uma a uma, mexendo sempre. Temperar de sal e pimenta e juntar nesta altura o bacalhau desfiado.

 

Na altura de servir, untar um pirex com manteiga. Levantar as claras em castelo bem firme, juntando umas gotas de limão para ajudar. Misturar com muito cuidado as claras em castelo na mistura do bacalhau, juntando pouco apouco e mexendo de baixo para cima.

 

Verter a mistura no pirex e levar ao forno a 220ºC durante cerca de 20 a 25’. Servir imediatamente.

 

O suflê cresce bastante e o forno deverá estar bem quente mas não em demasia.

 

Como disse acima, pode-se substituir o bacalhau por qualquer outro peixe, atum em conserva ou mesmo restos de carne desfiada.

 

Servir com uma boa salada verde.

 

Mãos à obra

 

tags:
publicado por Maria às 08:00
13
Mar
12

Tenho o grande defeito de oferecer prendas sob a perspectiva dos meus gostos. Eu sei e aconselham-me, frequentemente, que os presentes têm de ser feitos ou comprados de acordo com os gostos e preferências da pessoa a quem se oferece, mas eu não consigo. Sinto que, se qualquer presente que ofereça não tiver um pouquinho do meu gosto pessoal, não ofereci nada de mim. E, o que eu gosto mesmo quando presenteio alguém, é partilhar um pouco de mim e daquilo que sou. Se calhar há quem não goste mas eu sou assim; e acho que nunca mudarei.

 

Foi com este sentimento, defeito para alguns, que fiz este arroz que gosto muito, e fi-lo para o oferecer à Manuela do Blog O Bolo da Tia Rosa que faz um ano de existência e a quem desejo muitos e muitos mais.

 

Parabéns Manuela pelo teu excelente trabalho e feliz aniversário.

 

O que preparar:

 

  1. 500g da línguas de bacalhau em salmoura;
  2. 1 cebola;
  3. 1 dente de alho;
  4. ¼ de pimento verde;
  5. 0,5dl de azeite;
  6. 3 tomates maduros;
  7. 2 chávenas de arroz carolino;
  8. 5 chávenas de água;
  9. Coentros a gosto;
  10. Limão a gosto
  11. Sal  a gosto.

 

Como preparar:

 

Colocar as língua de molho em água, durante 12 horas, trocando de água 3 vezes.

 

Picar uma cebola, o dente de alho e levar ao lume juntamente com o azeite. Quando começar a alourar, juntar os tomates partidos em bocadinhos. Tapar o tacho e deixar suar 2’. Juntar as línguas, o pimento partido em tiras pequenas e deixar cozer, em lume brando, cerca de 10’. Juntar a água e quando esta começar a ferver, juntar o arroz e rectificar de sal. Deixar ferver em lume forte durante 3’ e, após isso mexer, baixar o lume para o mínimo, juntar os coentros picados e tapar a caçarola. Contar 10’ e desligar o lume.

 

Servir de imediato, salpicando com um pouco mais de coentros e com umas pingas de sumo de limão.

 

Mãos à obra.

 

publicado por Maria às 08:00
03
Jan
12

 Outro prato da cozinha regional protuguesa que sabe sempre bem.

 

O que preparar:

 

  1. 2 postas de bacalhau demolhado e desfiado;
  2. 1 pimento;
  3. 1 cebola;
  4. 2 dentes de alho;
  5. 0,5 dl de azeite;
  6. 0.5 dl de vinho branco;
  7. 2 tomates bem maduros;
  8. ½ limão;
  9. 2 chávenas de arroz carolino e o dobro mais uma de água;
  10. coentros

 

Como preparar:

 

Picar a cebola e o dente de alho e levar ao lume com o azeite a refogar. Deitar os tomates partidos em pedacinhos bem como o pimento partido em tiras pequenas, e deixar suar cerca de 2’. Refrescar com o vinho branco, deixando ferver mais 2’. Deitar o arroz, mexendo bem, e deixar fritar 2’.

Deitar a água, e quando esta começar a ferver, contar 3’. Deitar o bacalhau desfiado, mexer bem, deixar levantar fervura, mexer novamente, polvilhar com os coentros picados, regar com o sumo do ½ limão,e baixar o lume para o mínimo, tapando o tacho. Ao fim de 8’, apagar o lume, servindo de imediato.

Delicioso.

 

Mãos à obra.

publicado por Maria às 08:00
23
Nov
11

 

 

Ando numa fase muito saudosista. Deve ser pela aproximação do Natal. Lembramo-nos dos nossos, daqueles que mais amamos e amámos. Sentimos falta dos que partiram e que ainda tanta falta nos fazem.

A minha mãe era uma boa cozinheira. Tinha  alguns pratos inultrapassáveis; tinha mesmo! Não é agora a saudade que me faz dizer isto.

Arroz doce, Bolo de família (que fazia no Natal e é uma especialidade da Madeira), Arroz de polvo e Pasteis de Bacalhau. Ninguém fazia, faz ou fará como ela. Tenho a certeza.

Como ela fazia as receitas a olho, nunca acertei com os temperos dela.

Porém, numa tentativa de recordá-la, fiz estes pastéis que agora vos ensino e que até nem saíram nada maus.

O cheirinho que emanaram ao fritar fez-me sentir, novamente, menina.

Quantas saudades e recordações nos trazem os cheiros e paladares…

 

O que preparar: ( para 30 pasteis)


1.       600g de batatas;

2.       300g de bacalhau cozido sem pele nem espinhas  (podem usar o desfiado);

3.       3 colheres de sopa de azeite;

4.       1 dente de alho;

5.       ½ cebola;

6.       1 colher de sopa de salsa picada;

7.       3 ovos;

8.       Sal e pimenta a gosto;

9.       Óleo para fritar.

 

Como preparar:

 

Descascar as batatas e pô-las a cozer em água fervente com sal. Deixá-las cozer bem e, aundo cozidas escorrer a água e pisar a batata com um esmagador, até a batata estar em puré, mas bastante enxuto.

Cozer o bacalhau e limpá-lo de peles e espinhas e desfiá-lo numa picadora ou passe vite (eu usei a Bimby).

Misturar o puré com o bacalhau, juntar os ovos inteiros um a um e mexer bem.

Picar muito bem a cebola e o alho e refogá-los no azeite até alourarem.

Juntar este preparado ao puré e bacalhau.

Juntar também a salsa picada e temperar com sal e pimenta.

Colocar no frigorífico cerca de 30”.

Com duas colheres de sopa moldar os pastéis da seguinte forma:

Tirar um pouco de massa com uma das colheres (cerca de ¾ da colher); com a outra colher colocada na mão esquerda, raspar o conteúdo da colher da mão direita calcando em simultâneo. Repetir esta operação de uma colher para a outra até formar o pastel desejado.

Fritar em óleo bem quente para os pastéis não ficarem cheios de gordura.

À fácil e vale a pena. Ficam bem melhores que os pré cozinhados que compramos, congelados, nos supermercados.

Os pastéis que sobrarem podem ser congelados para serem servidos numa ocasião em que não dispomos de muito tempo ou disposição para cozinhar.

Em vez de bacalhau, pode usar-se peixe. Ficam também saborosos.

 

Mãos à obra.

publicado por Maria às 18:39
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Thanks for sharing information <a href="https:/...
Olá , acabei de ler esta receita de licor de ameix...
Falta-lhe a cidra, bolos de familia e de mel sem c...
Sem comentários... Esta senhora que sabe tudo, afi...
Adorei. ❤️ Adeus e um grande ZACATRAZ
E a tinta? A tinta é essencial para a confecção.
Adorei ler seu post.numero do felipe neto (https:/...
As batatas são efetivamente às rodelas mas aquele ...
Agradeço a receita mas tem algo de errado. Nunca p...
Olá a todos. As batatas são efectivamente às rodel...
blogs SAPO